Minhas impressões sobre "EU" @ricky_martin e @A_Planeta



Primeiro tenho que dizer que fui menudete...isso mesmo...há milhões de anos atrás...e me lembro quando Ricky Martin, eu, minhas irmãs e uma amiga menudete como nós, o chamavámos Rickynho...por ter entrado no lugar de outro Ricky...o Melendez...fui ao show do Menudo em minha cidade...para uma menina de 14 anos, na época, uma das maiores emoções da vida...com chuva e tudo mais...e me lembro de Ricky cantando ♪♪♫♫Oh...mi amor...Oh...mi amor...Yo te quiero!♫♫♪♪ Continuei acompanhando por um tempo a sua carreira solo...mas 'perdi' alguns fatos...mas ao entrar no twitter o reencontrei e acompanhei alguns fatos que ele postava...como o livro que estava escrevendo...e logo que chegou ao Brasil...corri atrás...


Edição do Livro: Eu

Título: Eu
Subtítulo: 
Edição: 1
ISBN: 9788576655633
Editora: Planeta do Brasil
Ano: 2010
Páginas: 304
Sinopse: 
Ricky Martin, o astro internacional que já vendeu mais de 60 milhões de discos em todo o mundo, fala pela primeira vez sobre as lembranças de sua infância, as experiências no grupo Menudo, a luta por sua identidade durante o fenômeno "Livin´ la vida loca", o momento em que resolveu assumir sua sexualidade e as relações que lhe permitiram aceitar o amor, além das decisões que mudaram sua vida, como dedicar-se a ajudar crianças no mundo todo e tornar-se pai. Este livro é uma autobiografia íntima sobre o caminho libertador e espiritual de um dos maiores ícones pop-stars do nosso tempo. 







Minhas impressões:


Primeiro...amei a capa...Ricky é lindo, desde sempre...e ao ler o livro descobri que ele é ainda mais lindo por dentro do que é por fora...o livro em sua introdução já apresenta um texto de Mahatma Gandhi...que transcrevo fragmentos que já começaram me tocando:
"Se me derdes fortuna, não me tireis a razão. Se me derdes sucesso, não me tireis a humildade. Se me derdes humildade, não me tireis a dignidade.
....Por favor, não me deixeis ser orgulhoso se for bem sucedido, ou cair em desespero se fracassar....Se eu falhar com as pessoas, dai-me coragem para me desculpar, e se as pessoas falharem comigo, dai-me coragem para perdoá-las. Deus, se eu me esquecer de vós, por favor, não vos esqueçais de mim."
Ricky se abre...abre seu coração...seus pensamentos...suas inseguranças...conta sobre sua infância...sobre sua família, seu sonho de ser um Menudo...a realização do sonho...o período em que esteve com o Menudo ('Esta era a disciplina do Menudo: ou você fazia o que diziam que era para fazer ou não fazia parte do grupo. Simples assim.') ...fala sobre a dificuldade de ser readaptar à vida normal...pós Menudo...seu tempo como ator no México...na Brodway (ele atuou em 'Les Miserables') e depois em Los Angeles...(General hospital)...
Ricky, Kiki (para os íntimos), fala de seus amores...sim ele fala de seus amores...e ele foi apaixonado por mulheres...e por homens...mas não se aceitava e fala de sua busca espiritual...por Deus, por si mesmo...ele participou de encontros de Igreja Evangélica em NY...encontrou-se com um Iogue em Bangcoc...e este o levou à Índia.
"A única coisa que desejo para a minha vida, e para as vidas de todos os outros seres humanos, é encontrar paz interior. Não importa o caminho que se escolha para isso. Seja o catolicismo, o islamismo, o budismo, o hinduísmo...- o que importa é encontrar o que funciona para cada um de nós; e como cada mente é um universo único, não é de surpreender que cada um de nós precise encontrar uma maneira diferente de atingir seu próprio estado de paz interior."
Fala sobre sua luta, suas ações na Fundação Ricky Martin, lutando por qualidade de vida para crianças em todo o mundo...e sua luta contra o tráfego de pessoas, principalmente crianças, que são vendidas ou trocadas, para o tráfego sexual...e esta é uma parte que nos deixa perturbados com o que seres humanos em todo o mundo podem fazer com crianças inocentes...e que a Fundação de Ricky Martin luta por ajudar...eu fiquei com vontade de fazer algo a respeito disso...e ser uma gotinha de água na imensidão do oceano...
"Há tantas maneiras de ajudar, e em tantos níveis diferentes, que acredito que todos precisam encontrar uma maneira de fazê-lo, seja com dinheiro, tempo ou qualquer outra coisa."
Ricky conta sobre a Paternidade, da emoção de ter seus filhos Matteo e Valentino em seus braços...e que é pai ou mãe sabe o quanto isso é enorme...e conta o quanto seus filhos o fazem feliz e o fizeram ver a importância de se aceitar como é. Ele fala da carta, que eu li no dia em que ele a publicou, dia 29/03/2010 onde se assumiu publicamente como homossexual e do carinho e amor que encontrou em todos os lugares.
"Não pretendo mudar a cabeça de ninguém. Estou apenas compartilhando minha própria experiência....
Hoje, entendo que não posso esperar que todo mundo me ame, e, apesar de parecer algo ingênuo, levou um bom tempo para eu absorver e entender isso."


Então amigos...só tenho a dizer que leiam o livro de Ricky Martin...para conhecerem o ser humano mais sensível e amoroso que se mostrou por inteiro neste maravilhoso livro...o que tenho a dizer é que estou ainda mais 'apaixonada' por Ricky Martin...pelo menino Kiki...pelo homem Ricky, pelo pai de Matteo e Valentino...e quero sintetizar dizendo que Ricky é AMOR!

1 comentários :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.