Minhas impressões: O Aleph @paulocoelho @sextante

Hoje... minha resenha será de um livro diferente do que vocês estão acostumados a ver por aqui... mas como já disse diversas vezes... sou louca por livros de qualquer natureza... e já li Paulo Coelho... quase todos os livros... 'O Aleph' já está comigo há algum tempo... mas veio agora o momento certo para lê-lo e melhor 'entender' o significado para a minha vida...



Abençoa e será abençoado.

"Quando tinha 22 anos, comecei a me dedicar ao  aprendizado da magia. Passei por diversos caminhos, andei à beira do abismo, escorreguei e caí, desisti e voltei. Imaginava que, quando chegasse aos 59 anos, estaria perto do paraíso e da tranquilidade absoluta que penso ver  nos sorrisos dos monges budistas. Mas a busca da paz tem  seu preço, e me pergunto: até onde estou disposto a chegar?" - Paulo Coelho

O Aleph marca a volta de Paulo Coelho às origens. Num relato pessoal franco e surpreendente, ele revela como uma grave crise de fé o levou a sair à procura de um caminho de renovação e crescimento espiritual.
Para se reaproximar de Deus, o mago resolve começar tudo de novo: viajar,experimentar, se reconectar às pessoas e ao mundo. E assim, entre março e julho de 2006, guiado por sinais, visita três continentes – Europa, África e Ásia –, lançando-se em uma jornada através do tempo e do espaço, do passado e do presente, em busca de si mesmo.
Ao longo da viagem, Paulo vai, pouco a pouco, saindo do seu isolamento, se despindo do ego e do orgulho e se abrindo à amizade, ao amor, à fé e ao perdão, sem medo de enfrentar os desafios inerentes à vida.
Da mesma maneira que o pastor Santiago em O alquimista, o escritor descobre que é preciso ir para longe a fim de compreender o que está perto. A peregrinação o faz se sentir vivo novamente, capaz de enxergar o mundo com olhos de criança e de encontrar Deus nos pequenos gestos cotidianos.
"A viagem não foi para encontrar a resposta que estava faltando na minha vida, mas para voltar a ser rei do meu mundo. Estou de novo conectado comigo e com o universo mágico à minha volta. É isto que faz a vida interessante: acreditar em tesouros e milagres."
****
"Nossa vida é uma constante viagem, do nascimento à morte. A paisagem muda, as pessoas mudam, as necessidades se transformam, mas o trem segue adiante. A vida é o trem, não a estação."
Em 2006, com profundas dúvidas em relação à sua fé e sentindo-se infeliz, Paulo Coelho busca a orientação espiritual de seu mestre e ouve o seguinte conselho: "Está na hora de sair daqui, reconquistar seu reino."
Relutante a princípio, Paulo entende que é o momento de deixar a acomodação de lado e voltar a ser peregrino, abrindo-se para o mundo e para novas experiências.
Assim, embarca numa viagem por três continentes, disposto a percorrer seu terceiro caminho sagrado, depois da transformadora peregrinação a Santiago de Compostela, em 1986, e do perturbador Caminho de Roma, três anos depois.
Durante a travessia da Rússia, Paulo conhece uma leitora. Hilal, que acredita ter recebido um chamado para ajudá-lo. A jovem embarca no mesmo trem que o escritor, determinada a conquistá-lo - o que ela não sabe é que o amor do presente tem raízes na trágica paixão que os uniu numa vida passada.
A forte conexão entre os dois abre a janela de suas almas e as portas do Aleph - um ponto que contém todo o universo -, levando-os a outra dimensão, em busca de uma resposta que pode transformar suas vidas.
"Estou no Aleph, o ponto onde tudo está no mesmo lugar ao mesmo tempo. Estou em uma janela olhando para o mundo e seus lugares secretos, a poesia perdida no tempo e as palavras esquecidas no espaço.
Estou diante de portas que se abrem por uma fração se segundo e logo tornam a se fechar, mas que permitem desvelar o que está escondido atrás delas - os tesouros, as armadilhas, os caminhos não percorridos e as viagens jamais imaginadas." - Paulo Coelho


Compre:

Submarino
Livraria Cultura


Minhas impressões:




Difícil falar sobre 'O Aleph'... eu li 'O Alquimista'... 'O Diário de um Mago'... 'Brida'... quando era adolescente... estou inclusive precisando relê-los... com o 'O Aleph'... aconteceu uma coisa interessante... comprei o livro... comecei a ler... meu marido pegou para ler... eu parei... me concentrei em outras leituras... e após uns 4 meses... recomecei... semana passada dia 19/03... aniversário de Paulo Coelho... ele fez o lançamento do livro na Turquia... terra natal de 'Hilal'... a leitora que o segue na viagem pela Ferrovia Transiberiana... porque como é dito no livro... ambos precisam se reencontrar... e relembrarem de uma vida passada, em que estiveram juntos... precisam se perdoar... perdoarem a si mesmos... e um ao outro... ou pelo menos, a  meu ver, se sentirem perdoados.... como nos livros anteriores... Paulo Coelho narra a história acontecendo no momento  atual e vai recordando trechos de suas vidas anteriores....


A viagem é uma aventura muito bonita, interessante de crescimento espiritual para Paulo Coelho, Hilal, Yao e também, creio eu, para os Editores russos que embarcam no último vagão da Transiberiana com Paulo Coelho em sua jornada rumo ao auto conhecimento e ao autoperdão... gosto do muito dos ensinamentos de Paulo Coelho.




Citações:

"Abençõe e será abençoado." pag 23


"J. sabe disso e me incitou a fazer esta viagem para que eu entendesse que meu caminho está refletido no olhar dos outros e, se eu quiser encontrar a mim mesmo, preciso desse mapa." pag. 34


"Explico que também usamos um provérbio semelhante: 'Ninguém é profeta em sua terra.' Tendemos sempre a valorizar aquilo que vem de longe, sem jamais reconhcer tudo de belo que está ao nosso redor." pag 45


"A rotina não tem nada a ver com a repetição. Para atingir a excelência em qualquer coisa na vida, é preciso repetir e treinar." pag 51

"Não vale a pena explicar que na vingança o máximo que pode acontecer é nos igualarmos aos nossos inimigos, enquanto no perdão mostramos mais sabedoria e inteligência." pag 68

"Se você ficar muito preocupado em descobrir o que há de bom ou de mal em seu próximo, irá se esquecer de sua própria alma e será exaurido e derrotado pela energia que gastou al julgar os outros." pag 70

"Ninguém perde ninguém. Somos todos uma única alma que precisa desenvolver-se para que o mundo siga adiante e tornemos a nos reencontrar. A tristeza não ajuda em nada." pag 90

"O perdão só funciona para quem o aceita." pag 107

"Quem conhece a Deus não o descreve. Quem descreve a Deus não o conhece." pag 111

"Aprendemos no passado, mas não somos fruto disso. Sofremos no passado, amamos no passado, choramos e sorrimos no passado. Mas isso não serve para o presente. O presente tem seus desafios, seu mal e seu bem. Não podemos culpar ou agradecer o passado pelo que está acontecendo agora. Cada nova experiência de amor não tem absolutamente nada com as experiências passadas: é sempre nova." pag 114 e 115

"Deus está perto de nós, independentemente das preces que fazemos." pag 125

"... a harmonia com o Universo é isto: um homem e uma mulher se transformando em uma energia só." pag 129

"Viver é treinar. Quando treinamos, nos preparamos para o que está adiante. Vida e morte perdem o significado, existem apenas os desafios que são recebidos com alegria e superados com tranquilidade." pag 133

"Admiro como você se move com facilidade da mulher para a menina e da menina para a mulher. É como o arco tocando as cordas do violino e criando uma melodia divina." pag 138

"- Eu me liberto do ódio por meio do perdão e do amor. Entendo que o sofrimento, quando não pode ser evitado, está aqui não para me fazer avançar em direção à glória. Compreendo que tudo se entrelaça, todas as estradas se encontram, todos os rios caminham para o mesmo mar. Por isso, eu sou neste momento o instrumento do perdão." pag 150

"O sofrimento vem do desejo, e não da dor." pag 177

"- É possível desviar-se do caminho que Deus traçou? Sim, mas sempre é um erro. É possível evitar a dor? Sim, mas você jamais aprenderá alguma coisa. É possível conhecer as coisas sem verdadeiramente experimentá-las? Sim, mas elas nunca farão realmente parte de você." pag 225 e 226

"... é preciso ir para longe antes de compreender o que está perto. A chuva, voltando para a terra, traz coisas do ar. O mágico, o extraordinário, está o tempo todo comigo e com todos os seres do Universo, mas de vez em quando nos esquecemos disso e precisamos relembrar, mesmo que seja necessário cruzar o maior continente do mundo de uma ponta à outra." pag 239 e 240

"O amor vencerá o ódio" pag 250

0 comentários :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.