Minhas impressões: Perdida @CarinaRissi @EditoraBarauna


Meu Deus!!! Descobri... que sou uma romântica inveterada... eu gosto mesmo e definitivamente de romance... romance... história de amor... amor doce... amor apimentado... eu quero é me deliciar com estórias de muito amor... li dois livros de Jane Austen (Razão e Sensibilidade e Orgulho e Preconceito ... citados em 'Perdida')... gosto muito de romances de época ou históricos como são chamados atualmente...

E esta semana as minhas resenhas... todas duas tem 'viagem no tempo'... e encontro entre amores de séculos diferentes.... Estou muito feliz por isso...





Estou participando do booktour de Perdida... mas não resisti e comprei o livro... e o que li é o meu... 
com autógrafo da fofa da Carina... amei... 


Sinopse

Sofia vive em uma metrópole, está habituada com a modernidade e as facilidades que isto lhe proporciona. Ela é independente e tem pavor a menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são os que os livros lhe proporcionam. Mas tudo isso muda depois que ela se vê em uma complicada condição. Após comprar um novo aparelho celular, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século XIX, sem ter ideia de como ou se voltará. Ela é acolhida pela família Clarke, enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de voltar para casa. Com a ajuda de prestativo Ian, Sofia embarca numa procura as cegas e acaba encontrando algumas pistas que talvez possam leva-la de volta para casa. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos...


Visite o blog do Livro

Compre aqui:
Direto com a autora (autografado)


Minhas impressões:

'Perdida' é um conto de fadas... um poema... uma poesia... uma história de amor... Carina Rissi escreveu um livro com um quê de Jane Austen... um romance que mescla Romance histórico (de época) com romance contemporâneo... já que Sofia Alonso vive em 2010... e após comprar um celular novo... viaja no tempo... de volta a 1830... quando encontra seu AMOR... Ian Clarke... eles vivem alguns dias o romance histórico... cortejo, vestidos longos, espartilho... crinoline (uma 'gaiola' para armar as saias dos vestidos), carruagem, banheira no quarto... sem banheiro... tem 'casinha e folhas de alface'... baile... e tudo o que existe nos livros antigos... com muito humor... e depois... não vou contar o que acontece... 

Sofia trabalha em um escritório... tem dificuldades em viver sem as novas tecnologias (como eu)... não vive sem o computador... a parte do livro em que ela tenta usar a máquina de datilografia é hilária.... sem o celular... sem o microondas... como ela vai conseguir viver sem tudo isso? 

Ian é um cavalheiro do século XIX... lindo... charmoso... educado... oh, como eu queria que os homens fossem, ainda como Ian... ele ajuda Sofia logo que ela chega ao século XIX e claro se apaixonam... e o que acontece enquanto estão juntos é uma estória encantadora... até parece que estamos lendo um livro de Jane Austen... que estamos diante de Edward Ferras ou Mr. Darcy... homens maravilhosos...

Além de Sofia e Ian... temos outros personagens muito legais no livro: Nina e Rafa (amigos de Sofia no século XXI)... Elisa (irmã de Ian)... Madalena (a governanta, cozinheira, da casa de Ian e Elisa)... Sr. Gomes (o mordomo)... Storm (o cavalo, mais lindo que eu já vi)... Teodora (a amiga de Elisa, que quase mora na casa dos Clarke).

Sofia e Ian se apaixonam e como em todo bom livro... tem as dificuldades pelas quais têm que passar e superar... mas o AMOR ultrapassa as barreiras do tempo....

Adorei as partes de Ian e Sofia... juntos a Storm... adorei a parte da carruagem... quando Ian e Sofia estão indo para a ópera... adorei a parte de Ian explicando para Sofia a peça da Ópera... amei a partee a parte depois de Sofia descobrir o quadro.... quando eles comparam seus livros 'Orgulho e Preconceito'... e tudo o mais neste livro... me fez perceber o quanto sou romântica...

Perdida é um livro que TEM que ser lido... por todas as pessoas que amam o AMOR. Fiquem de olho neste nome: Carina Rissi... a nossa Jane Austen... a Jane Austen contemporânea... adorei é pouco para descrever o meu sentimento por Perdida. Posso dizer que ele está dentro da minha estante de favoritos... dentre os brasileiros... daqueles que não me separo, não empresto, não troco... só indico... Muito! 

O livro já começa lindo e tocante nos Agradecimentos... chorei... ao ver os agradecimentos de Carina para Lalá e Adri!


Citações:
Vou tentar colocar o mínimo de citações, para evitar spoilers... mas vocês têm que ler... e se deliciar com o livro...

"- Então, mãos à obra, Sofia. Você tem até as cinco. A máquina de datilografia está no armário do almoxarifado. Ela não trava, não dá pau, o cartucho não acaba... Você vai gostar! É muito eficiente." pag 13

"Como as pessoas conseguiram viver sem o computador por tanto tempo? - pensei. Levaria dias para que eu conseguisse colocar em ordem os meus e-amils, minha conta no Facebook e, provavelmente, não conseguiria ler todas as postagens no Twitter. Teria que fazer isso assim que chegasse em casa. Ficar sem internet era como se eu deixasse de existir, não fizesse mais parte do mundo. Completamente isolada virtualmente!" pag 15

" Vesti meu pijama e me joguei no sofá, procurando algo para me distrair enquanto meu jantar girava dentro do micro-ondas. Não encontrei nada na TV, então liguei meu mp3 e abri meu livro favorito. Meu livro 'livro', com capa e folhas de papel e tudo mais. Não em meu e-reader.  Eu tinha vários livros eletrônicoas, inclusive armazenados no celular, mas este livro em especial eu simplesmente não conseguia ler de outra forma que não fosse a tradicional. Ele tinha minhas páginas preferidas marcadas por orelhas e estava todo esfrangalhado por já tê-lo lido tantas vezes. Eu não sabia explicar por que gostava tanto daquele livro, mas era incrível poder me perder em séculos passados, costumes tão diferentes, roupas tão lindas, paisagens bucólicas e tranquilas, o amor sendo posto à prova pela ideia retrograda de que pobres e ricos não se misturavam, o cavalheirismo, a delicadeza do primeiro amor... Glicose da boa!" pag 16/7 (lendo Orgulho e Preconceito)

 "Eu não saberia viver sem meu celular ou meu computador - pensei por um momento e acrescentei - Ou o microondas!" pag 30

"Tinha certeza que caberia mais de mil músicas nele. Uma coisa muito importante para mim. Eu era movida a música. Quase literalmente. Usava música para quase tudo: para me acalmar, para relaxar, só por ouvir, para tomar banho, para ler, pra tudo." pag 33

"Foi então que percebi que algo estava diferente. Muito, muito diferente! Olhei em volta com assombro. Meus olhos procuravam por qualquer coisa familiar. Qualquer coisa que deveria estar ali e que não estava!" pag 35

"- Creio que estou vestido adequadamente, senhorita. E prefiro ir a cavalo. É bem mais rápido que a carruagem. - um pequeno sorriso surgiu em seus lábios, meu estomâgo se agitou." pag 40

"- É você? É a mulher que me vendeu este celular? Olha, ele não funciona bem... - comecei e me detive. Lembrei-me de que tinha problemas mais urgentes naquele momento. - Hã... Será que você poderia me ajudar? Estou meio... Perdida. - um riso nervoso escapou de meus lábios." pag 52

"Ela remexeu na pilha em suas mãos ruborizando violentamente e, sem me olhar nos olhos disse:
- Os trajes íntimos. A anágua, o espartilho, as meias, a crinoline e o sapato, Senhorita." pag 61 


" - O resto! as palavras saíram sem controle. - O resto. As necessidades fisiológicas, o xi...
- Ah! Entendo. - ele me interrompeu assim que compreendeu sobre o que eu perguntava. - Você deve estar falando da casinha!" pag 70

"Estava tão furiosa que joguei a bolsa nos ombros e, como ele não fez movimento algum para sair da minha frente, abri caminho a cotoveladas. Entretanto, suas mãos alcançaram meu cotovelo antes que eu chegasse a porta.
- Ouça-me, por favor! - pediu numa voz baixa e magoada. Balancei um pouco. Aquela sensação estranha de que já o conhecia inundou meu corpo mais uma vez quando ele me tocou." pag 99

" Fiquei ali parada olhando pra ele como uma idiota. Ian me encarava também, e só depois de alguns segundo percebi que ainda segurava sua mão. Tentei puxar minha mão, mas ele a prendeu um pouco mais forte, não permitindo que eu o soltasse, então se inclinou - ainda me encarando - e, muito delicadamente, beijou as costas de minha mão. Um tremor desconhecido reverberou por minha coluna. Senti minhas bochechas arderem e todo meu corpo se arrepiar." pag 148

"- Sim. É um romance. O primeiro romance que Jane Austen publicou! eu estava maravilhada em poder segurá-lo em  minhas mãos. - É o original! Primeira edição! Veja! Aqui diz que foi publicado pela própria autora!" pag 166 (encontrando 'Sense and Sensibility' - Razão e Sensibilidade na biblioteca da casa de Ian)

"- Você é incrível, Ian! A seu modo, tentava me proteger de um estranho do qual não tinha nenhuma informação. Fiquei um pouco emocionada. - Você foi a melhora coisa que encontrei aqui, sabia? Então seus lábios se abriram num sorriso de tirar o fôlego, seus olhos brilharam e achei que meu coração fosse parar de bater.Oh-Oh!- E você foi a melhor coisa que encontrei em toda a minha vida." pag 182

"E então seus lábios tocaram os meus delicadamente. Os dedos em minha nuca se apertaram minimamente. Fiquei em chamas, minha pele ardia ansiando por seu toque, um fogo denso e abrasador que me dominou acabando com qualquer resistência." pag 204

"Sacudi a cabeça, pensando se, de repente, eu não teria uma fada madrinha em algum lugar que poderia ajudar a resolver minha vida. Mas, como eu bem sabia, na vida real, contos de fadas não se realizam com frequência." pag 256

"Não podia responder a isso. Eu tinha minha vida, meus amigos, meu emprego. Não podia largar tudo e simplesmente viver no passado, ainda que isso fosse possível. Mas pensar em ir embora e nunca mais ver Ian era doloroso demais, impossível. Perder Ian seria insuportavelmente excrusiante." pag 272

 
"Suspirei outra vez. Não adiantava mais adiar o inevitável. Ele tinha que saber tudo antes que eu desaparecesse de sua vida para sempre sem deixar nem uma explicação." pag 299

"Jamais havia sentido algo tão forte, tão grandioso quanto naquele instante. Nunca havia me conectado a alguém de forma tão intensa - de corpo e alma - como naquela noite." pag 311

"Sim, eu sobreviveria sem tudo aquilo. Só não poderia suportar viver sem Ian." pag 351

"Vou amá-lo por toda vida" pag 358

" ... e alguns rodopios depois, eu estava pronta, parecida com uma princesa de conto de fadas, me sentindo totalmente ridícula e indescritivelmente feliz." pag 463 

não posso falar mais... se não... conto tudo... 

Dica promo Perdida... 8 palavras no caça palavras...
Booktrailer:


25 comentários :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.