Minhas impressões: Natal Mortal - J. D. Robb (Nora Roberts) @EditoraBertrand

É impossível não se apaixonar ou viciar por esta maravilhosa série de Nora Roberts... escrevendo sob o pseudônimo de J. D. Robb...
Como prometi... vou resenhar um livro da série por semana... pretendo cumprir esta promessa.... e aqui vai a  resenha do sétimo livro da série... NATAL MORTAL






Sinopse:


Sétimo romance futurista da Série Mortal, de J.D. Robb (Nora Roberts), a policial Eve Dallas, fiel devota da lei e da justiça, depara-se com mais um misterioso caso para solucionar. Natal Mortal nos oferece uma instigante e curiosa história de homicídio ambientada em uma Nova York do ano de 2058. Em meio às festividades de Natal, um criminoso está à solta, fantasiado de Papai Noel. Será que o presente recebido pela primeira vítima do bom velhinho e a referência à canção “Os Doze Natais” significam que foi apenas o primeiro de muitos assassinatos? Ou teria sido um crime passional? Cabe à tenente Eve Dallas procurar as respostas e desvendar o mistério. Para isso, deverá evitar o envolvimento emocional, ignorar as fraquezas e superar os próprios traumas.


Minhas impressões:

Neste livro... Eve Dallas se vê às voltas com uma série de assassinatos cujo o assassino é um 'Papai Noel'... o livro se passa nas vésperas de Natal de 2058... e o assassino se fantasia de Papai Noel, vai à casa de pessoas solitárias e as assassina, estupra, maqueia... limpa tudo e deixa um 'presentinho' relacionado à música de natal... 'Os Doze Dias do Natal'... 


Eve... que está ainda em recuperação dos traumas físicos do último caso que desvendou (Vingança Mortal)... e ainda tem traumas emocionais de sua infância... sofre muito, tanto física quanto emocionalmente, com este caso... mas ele tem um marido... pra lá de amoroso, cuidadoso, um verdadeiro Anjo da Guarda.... e eles se completam ainda mais... neste livro... Eve se mostra mais emotiva... mais consciente dos sentimentos dela e das pessoas à sua volta... e também do quanto ela gosta de tantas pessoas...

Estou com um pressentimento que Peabody e McNab vão se envolver amorosamente muito em breve, e torço por isso...


Citações:

"Ele estava morto. Ela sabia que ele estava morto. Dava para sentir o cheiro forte e quente, o defor do sangue que continuava a escorrer e enchia o ar abafado. Ela era uma criança, apens uma criança, mas a porção animal dentro dela reconhecia o cheiro e, ao mesmo tempo, se regozijava com ele." pag 08


" Ela jamais conseguia repousar direito na cama de casal, a não ser que ele estivesse ao seu lado. Os pesadelos aconteciam raramente, quase nunca na verdade, quando ele dormia ao seu lado. Mas voltavam com frequência quando ele não estava." pag 09

"Um assasssinato provocara o primeiro contato entre eles. Os dois eram almas perdidas seguindo rotas diferentes para sobreviver; porém, a despeito da lógica e do bom senso, haviam encontrado uma a outra." pag 10

"Ele era poeticamente belo, com cabelos negros que lhe emolduravam o rosto, pendendo, pesados e lisos, quase até a altura do ombro. Sua boca era sagaz, perfeitamente esculpida, e as maças do rosto fortes sob os olhos muito azuis." pag11



"Ainda não eram nem cinco da manhã, mas ela sabia que Summerset estava por ali, em algum lugar. Preferia, sempre que possível, evitar o mordomo sargentão que trabalhava na casa. Talvez não existisse termo melhor para descrever o home que sabia de tudo o que acontecia na residência, cuidava de tudo e metia o nariz comprido o tempo todo em todas as coisas que Eve considerava assuntos pessoais." pag 12


"É uma velha canção de Natal, tenente. O nome é 'Os Doze Dias do Natal'. O autor envia ao seu verdadeiro amor um presente para cada dia, começando com uma perdiz numa pereira." pag 22

"Tudo o que parecia murcho dentro de Eve floresceu de repente.Roarke estava em pé no closet, sem camisa, com os maravilhosos músculos das costas largas flexionando-se com sutileza enquanto procurava por uma camisa limpa. Ele se virou, e a imagem do seu rosto másculo atingiu-a em cheio. A boca curva de poeta sorriu e os olhos azuis em tom muito forte se iluminaram quando ele lançou para trás a juba gloriosa de cabelos muito pretos." pag 41

"- Os homens adoram quando uma mulher lhes compra roupas.- Não sei comprar roupas para alguém que não seja eu. Aliás, mal sei comprar para mim mesma." pag 52


"- A pessoa que você está procurando, Eve, provavelmente é do sexo masculino e tem entre trinta e cinquenta e cinco anos - começou. - É controlado, calculista e muito organizado. Adora aparecer e acha que merece ser o foco das atenções. Talvez tenha aspirações à carreira de ator ou alguma coisa ligada à area de interpretação." pag 112

"- Não pretendo atrapalhar o seu trabalho, Eve, mas nós temos direito a uma vida. A nossa vida. Quero uma noite para passar com a minha esposa." pag 174

"Ela não gostava de trabalhar com McNab, especialmente por causa das roupas ridículas que usava, os risinhos debochados que lançava e sua atitude de sabe-tudo. Pelo visto, porém, ia ter que aturar a situação enquanto Eve continuasse a achá-lo competente." pag 200

"Do outro lado do bar, McNab soltou uma gargalhada gostosa que correu pelos nervos de Peabody como uma lâmina de barbear cega." pag 201

"- No inverno passado - começou ela, falando devagar -, você entrou à força em minha vida. Não pedi por isso. Não queria você.A sombrancelha dele, se ergueu, em um gesto irritado de desafio.- Graças a Deus você não deu a mínima para o que eu pedi ou para o que eu queria - murmurou ela, e viu o ar de desafio transformar em um sorriso.- Eu também não pedi por você. A ghra.Meu amor. Ela sabia o significado daquela palavra em sua língua natal e não podia deixar de abrir o coração diante daquilo. Diante dele.- Desde o dia em que o conheci, naquele inverno, raramente tive um caso no qual você não tenha se envolvido de um jeito u de outro. Não queria que as coisas fossem desse jeito. Eu usei você sempre que me foi conveniente, e isso me incomoda.- Pois o mesmo fato que a incomoda me agrada.- Eu sei. - Suspirando, levantou a mão e apertou o pulso dele de leve. Sentiu a sua pulsação forte e constante. - Você alcança partes de mi para as quais não gosto de olhar, mas acabo não tendo alternativa senão encará-las de frente.- Você as encararia comigo ou sem mim, Eve. Talvez comigo elas não a machuquem tanto. Eu também olho para trás - afirmou Roarke, surpreendendo-a tanto, que seus olhos se elevaram e se fixaram nos dele. - E desde que você surgiu, esses momentos se tornaram mais fáceis de suportar. Não me peça nem espere que eu me afaste quando as suas más lembranças do passado a atormentam......- Você ficou lá esta noite, Roarke, mesmo sabendo que isso ia me deixar irritada, simplesmente porque achou que eu poderia precisar de sua ajuda. E agora está aqui na minha frente, pronto para discutir comigo só para afastar a minha mente do que a está perturbando. Eu conheço você, droga. Afinal, sou uma tira. E muito boa quando se trata de avaliar as pessoas" pag 214/215


"- O trato é esse, tenente. É pegar ou largar.- Estou com quatro assassinatos em cima da minha mesa.- No momento eu estou pouco ligando se eles são quatro ou quatrocentos. Não importam as suas prioridades, a minha é você. Meu preço é este. Você quer ver os dados?" pag 232

"- Como foi o peeling facial, McNab?- Fantástico. Minha cara ficou mais macia que bunda de bebê. E ainda consegui ver Peabody nua. Isto é, quase... Estava coberta dos pés à cabeça com aquela gosma verde, mas deu para apreciar o contorno de tudo.- Pois tire essa imagem da cabeça para poder cair dentro do trabalho.- Dá para fazer as duas coisas. Aliás, foi uma visão e tanto. E ela ficou pra lá de furiosa quando percebeu que eu a vi." pag 252

"- Ah, pelo amor de Deus. - Passou as mãos pelos cabelos. - Estou com cara de quem está a fim de um tratamento de beleza?- Não, está com cara de quem está a fim de um tratamento hospitalar. - Controlando o mau humor, jogou o roupão na direção dela. - É melhor se cuidar, senão é para onde você vai.Os olhos dela se tornaram sombrios e perigosos.- Não force a barra comigo. Você é meu marido e não meu anjo da guarda.- É de um anjo da guarda que você precisa mesmo." pag 262

"- Oh! - No instante em que entrou, Mira levou as mãos à boca, com ar de puro prazer. - Que lugar maravilhoso! Que tesouros incríveis! Pouca gente aprecia a sensação e o aroma de um livro de verdade nas mãos. A delícia que é enroscar-se em uma poltrona com o calor de um livro tradicional em vez da fria eficiência de um arquivo de texto em disco." pag 306

"Dentro havia uma caixa de madeira entalhada e polida com brilhantes dobradiças de cobre.- É linda! foi a reação de Eve.- Abra - incentivou Mavis, quase pulando. - Diga a eles para que serve, Leonardo.- A madeira representa a amizade, o metal representa o amor. - Esperou até Eve abrir a tampa para revelar dois compartimentos forrados de seda. - Um lado é para suas lembranças. O outro é para seus desejos.- Foi Leonardo quem escolheu. - Mavis apertou a mão gigantesca do namorado. - Ele não é mais que demais?- É. - Eve conseguiu concordar com a cabeça. - O presente é lindo, realmente lindo." pag 314

"- Não estou de farda, portanto não é ajudante que está falando com a oficial superior. Isso significa que eu posso dizer o que bem entender. Não gostei das coisas que você disse, Dallas. Continuo não gostando. Mas fico feliz por você se importar comigo a ponto de dizê-las. Não estou arrependida por ter reclamado na hora, mas sinto muito o fato de não ter visto aquilo como a preocupação de uma amiga." pag 384

"- Que horas são?- Quase meia-noite.- Então torne a me beijar. - Ela juntou a sua boca à dele, acomodou-se e suspirou de leve, dizendo:- Esta é mais uma lembrança para colocarmos na nossa caixa... e o começo de uma tradição. Feliz Natal!" pag 385

Próximo capítulo... resenha na próxima semana...



3 comentários :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.