Minhas impressões: Imitação Mortal (#17) J. D. Robb (Nora Roberts) @editorabertrand (com mensagem do tradutor Renato Motta)


Não gosto de postar resenhas aos domingos... mas desta vez é impossível... pois amanhã quero tentar postar outra... espero conseguir... a última resenha do #MesNoraRoberts

Agora... estou mais ansiosa pelos próximos livros da Série Mortal... vou ficar carente de Eve e Roarke e com certeza vou reler cada um dos livros até que chegue o próximo livro por aqui... 'Division in Death' que deverá se chamar 'Dilema Mortal' e a Editora Bertrand e todos os envolvidos na produção da Série Mortal... estão fazendo de tudo para que ele chegue para nós, pobres mortais brasileiros, ainda em 2011... o no mais tardar em janeiro/2012...

Sinopse



Minhas impressões

Neste livro ocorrem assassinatos horrorosos... sempre casos de imitaçao de crimes de assassinos em série 'clássicos' como 'Jack, o Estripador'… 'Albert de Salvo, o estrangulador de Boston'… e sempre com mulheres... assassinatos com muita crueldade... Eve se sente abalada como sempre, não só pela forma como são executados os homicídios mas por se sentir 'impotente'... Eve tem 4 suspeitos e todos eles são pessoas famosas e/ou importantes... o que dificulta um pouco, mas para Eve nada é impossível a não ser encontrar o assassino e defender os mortos... eu torci desde o início que fosse o suspeito, que realmente era o assassino, acho que foi um 'feeling' assim como o de Eve... que sabia desde o início quem era o assassino... 

Em 'Imitação Mortal' é a vez de Eve se lembrar da mãe… e sofrer por tudo que lembra, mas como sempre Roarke a ajuda, quando ela conta pra ele... e também a Dra. Mira, que a meu ver faz um papel materno muito importante na Série Mortal para Eve... inclusive neste livro Eve e Roarke vão a um churrasco de domingo na casa da Dra. Mira e eles são apresentados a toda a família... muito interessante esta passagem...

Peabody está se preparando para a prova de detetive… além de estar dando um passo grande junto de McNab… e se sente ansiosa e está muito angustiada... a relação de Eve e Peabody vai ficando cada vez mais forte e muito linda... 

Me diverti #rialto diversas vezes… na maioria das vezes nos diálogos entre Eve e Peabody… ainda a parte de Roarke tentando 'fazer um teste drive' em uma churrasqueira… além da cena de Eve e Roarke na cozinha... antes da chegada de Summerset... e também quando Roarke vê Eve de uniforme em uma das cenas finais do livro... adoro o humor da série Mortal... que equilibra todas as cenas tristes das mortes e assassinatos e pesadelos de Eve...


Sobre a tradução

Eu ainda não tinha falado nada sobre a traduçao da Série Mortal, mas como 'essa bola foi levantada' nos comentários de Retrato Mortal… vou falar agora. E eu só li os livros traduzidos por Renato Motta, o tradutor oficial da Serie Mortal, e me encantei com a história e me viciei nela, como todos vocês já perceberam, e eu acho que o trabalho do tradutor é muito importante na edição de um livro internacional, já li livros com traduções ruins ou péssimas, já li, tenho que confessar, não faço mais isso, ebooks traduzidos por fãs, repletos de erros de tradução, coerencia e até compreensão. Hoje, principalmente, após ler meus livros favoritos (Richelle Mead e as noveletas In Death) em inglês… vejo o quão difícil e trabalhoso é manter a coerencia e a ideia do autor na tradução… existem palavras, gírias, expressões de dificil tradução… e que às vezes ficam ruins ao traduzir… por isso acho o trabalho do tradutor um trabalho MUITO IMPORTANTE  e devemos reconhecer o bom trabalho.

Entrei em contato com o tradutor da Série Mortal e ele me deu a honra de responder, com muito carinho, o que me deixou muito emocionada... estou transcrevendo aqui as palavras de Renato Motta:

Aqui o que eu disse:

Você é o tradutor da série Mortal, J. D. Robb?
Se for, quero te parabenizar pela belíssima qualidade da tradução... amo a série e você contribui em muito com o sucesso da mesma.
Tenho um blog sobre livros e estou terminando de ler os livros já traduzidos, finalizando 'Imitação Mortal'... obrigada por seu trabalho.
Abraços,
Cínthia

Resposta de Renato Motta:

Sou eu mesmo, Cínthia. Agradeço o carinho. Geralmente o tradutor é esquecido pelos blogueiros e jornalistas que fazem resenhas literárias. Eles não percebem que as expressões idiomáticas, a adaptação das gírias e a fluência do texto são tarefas do tradutor. Além disso, são elementos básicos para o leitor curtir a história como ela merece.

Na Série Mortal, especificamente, isso é ainda mais importante. É fundamental manter a unidade das cenas (que muitas vezes remetem a livros antigos) e as características básicas dos personagens.

A verdade é que uma tradução travada ou um texto mal construído destrói um bom livro.

Agora, estamos trabalhando na última revisão de Dilema Mortal, num esforço para lançá-lo ainda esse ano ou nas primeiras semanas de janeiro. Eu, que também sou fã da série, já vou adiantando a você que essa história é uma das melhores entre os livros mais recentes, porque um evento importante faz o casamento de Eve e Roarke passar por uma verdadeira prova de fogo.

Mais uma vez, obrigado pelo reconhecimento e pela força na divulgação dessa série "mais que demais". Se quiser publicar minha resposta no seu blog, fique à vontade. É muito legal esse contato entre o tradutor e os leitores.

Grande abraço!


Na Série Mortal… a expressão usada sempre por Mavis, originalmente é Mag ou Super Mag que vem sendo usada nos ultimos livros… por Renato Motta, mas antes era usada apenas a expressão: Mais que demais! que a meu ver é muito mais condizente com tudo o que Mavis é e sua personalidade e também para descrever toda a série… do que 'Mag'... inclusive, quero deixar aqui minha opinião, para que a expressão 'Mais que demais' continue a ser usada nos próximos livros... 


Sobre as capas

Já falei antes e vou repetir... ADORO AS CAPAS NACIONAIS DA SÉRIE MORTAL, prefiro inclusive, às originais.


Lembro a todos que os livros da Série Mortal são livros com casos policiais iniciados e terminados a cada livro... mas para entender a história de Eve, Roarke e todos os personagens que amo... você deve seguir a ordem cronológica que está na página especial Nora Roberts aqui no blog.





Citações

Vou ter que me controlar muito... pois grifei em meu livro diversas citações lindas e encantadoras... mas não vou postar todas... vocês tem que ler os livros... 

"Peabody não estava na fretne da luz, e sabia disso. Sua tenente estava lhe dando um tempo e, como sentiu vontade de vomitar de novo, aproveitou a ordem e correu de volta para a entrada do beco.A blusa de seu uniforme ficara empapada de suor, e seus cabelos escuros cortados em forma de tigela estavam úmidos nas têmporas, sob o quepe. Sua garganta estava seca, e sua voz fraca, mas ela deu início às pesquisas. E observou o trabalho de Eve.Eficiente, meticulo, alguns diriam frio. Mas Peabody reparara no sobressalto de choque e de horror, e na compaixão que transpareceu no rosto de Eve antes de sua visão sair de foco por causa das lágrimas não vertidas. Frieza não seria o termo adequado. Determinação sim." pag 15


"- Enquanto as outras crianças liam historinhas que falavam de patinho feios não estripados, eu lia sobre Jack e outros assassinos em série.- Você lia essas... esse tipo de material quando era menina?- Lia, sim. Por quê?- Bem, é que... - Peabody pareceu desconcertada, embora soubesse que Eve fora criada em instituições do governo, orfanatos e abrigos. - Não havia nenhum responsável por perto para monitorar seus interesses de leitura, Dallas? Meus pais, que sempre tiveram o cuidado de não reprimir os filhos, eram categóricos a respeito disso, radicalizavam mesmo. Sabe como é, anos de formação das crianças, época de pesadelos e traumas.Eve fora submetida a todos os tipos de traumas muito antes de aprender a ler as primeiras palavras. Quanto aos pesadelos, convivia com eles desde que se entendia por gente." pag 25

"Mira soltou uma gargalhada gostosa.- É muito lindo você estar preocupada com Peabody.- Não quero ser 'muito linda' - reclamou Eve, com irritação - nem quero parecer preocupada. Simplesmente esse não é o momento para Peabody enfiar a cabeça na privada." pag 43



"- Não faço ideia. Não sei nada sobre essas coisas. Nunca fui a um almoço de família ao ar livre. Não compreendo os rituais do evento. Já que nós dois estamos de folga no domingo, podíamos aproveitar para ficar na cama, fazendo sexo suarento o dia todo.- Humm... Sexo ou salada de batata. Agora você me colocou entre duas coisas que adoro. - Ele riu, olhou para ela com carinho e lhe entrego meio pãozinho já com manteiga. - Eve, é só uma reunião de família. A doutora nos convidou porque você é importatne para ela. Vamos apenas circular por lá falando de abobrinhas, conversando sobre beisebol ou algo assim. Vamos encher a pança e nos divertir. E você terá a chance de conhecer a família dela. Depois, prometo voltarmos para fazer sexo suarento." pag 69


"- Você bem que podia ter guardado um donut para mim. Só unzinho.- É verdade - concordou Eve, entrando no carro. - Eu realmente poderia ter guardado. Por falar nisso... - Ela procurou por alguma coisa no fundo do bolso e pegou um saco plástico para lacrar evidências em cenas de crime. Dentro estava um donut recheado com geleia - ... acho que foi exatamente o que eu fiz.- Isso é para mim? - Transbordando de alegria, Peabody pegou o saco depressa, abriu-o e colocou o nariz dentro. - Você guardou um donut! Você é muito boa para mim. Retiro tudo o que estava pensando a seu respeito... que você é fria, egoísta, uma vaca que se entope de donuts sozinha, essa espécie de coisas. Obrigada, Dallas.- De nada." pag 80


"Eve estava lá embaixo, em algum lugar, ele esperava. Sem dúvida irritada com a ideia de ter de ser arrumar toda para um evento social, depois de passar o dia em busca de um assassino.O mais provável é que chegasse em cima da hora, com o rosto afogueado e poucos minutos para fazer a estranha transição de tira para esposa de empresário. Ela dificilmente faria ideia do quanto o empolgava e deliciava assistir a essa mudança brusca." pag 105



"- Mas não é a mesma coisa, nem um pouco - começou Eve a dizer, mas Gillian balançou a cabeça.- É exatamente igual. Eu nasci do corpo dela, do seu coração e do seu espírito. Você não saiu do corpo dela, mas, sem dúvida, é filha do seu coração e do seu espírito. Eu me senti dividida quando ela me contou que tinha convidado você para vir aqui hoje......- Minha mãe é a mulher mais extraordinária que eu já conheci na vida. Inteligente, compassiva, forte, sagaz, generosa. Nem sempre eu soube apreciá-la, como geralmente acontece quando alguém especial está tão próximo de nós. À medida que fiquei mais velha, porém, e tive filhos, passei a valorizar muito mais todas essas características dela." pag 121


"- ... Deixe-me dizer mais uma coisinha, antes que minha assistente sussurre atrás da porta, reclamando por eu atrasar sua agenda. Voê também deixou sua marca e teve um impacto grande em tantas vidas que não dá nem para computarmos o número. Lembre-se disso quando estiver diante do espelho, analisando os próprios olhos." pag 202


"-É só um defeitinho de fábrica, sem dúvida. - Ele sorriu. - Amanhã vou resolver isso.- Aposto que sim. Quer comer aqui dentro?- Para mim está ótimo. Vai ser difícil tornarmos a comer na cozinha, porque Summerset volta para casa amanhã.Ela parou, petrificada, com a taça a meio caminho dos lábios.- Amanhã? Não pode ser. Ele saiu há menos de cinco minutos.- Amanhã sim, ao meio-dia. - Roarke chegou junto de Eve e passou o dedo na covinha do seu queixo. - Ele saiu de férias há muito mais do que cinco minutos." pag 218


"- Se eu ficasse puta com cada mulher que Roarke comeu no passado, eu passaria a vida em perétuo estado de putez. A senhora foi uma entre muitas. - Eve ergueu a mão esquerda e apontou para a aliança. - Sou a única agora, a senhora não me preocupa." pag 249


"Ele daria conta do recado, refletiu Eve. Ela não podia estar em Boston, em Nova Los Angeles e vigiando Serena Unger em Nova York ao mesmo tempo. Baxter correria atrás, enquanto Feeney catava outros crimes semelhantes, e ela perseguia novas pistas em potencial.Pelo visto, ela montara um equipe completa para aquele caso sem planejar isso." pag 289


" Ela retorceu as mãos enquanto falava. Não era comum Eve ver uma pessoa virar e revirar as mãos daquele jeito. Nervos, e algo mais próximo de medo, criaram uma espécie de halo em torno da mulher. Pareciam luzes de alerta." pag 347

"- Você trabalhou rápido, McNab.Ele colocou o indicador da mão direita apontando para o teto e soprou a ponta do dedo, como se fosse uma arma.- Sou o técnico da DDE mais rápido do leste. Tenente, a senhora está com cara de quem foi atropelada por um máxiônibus.- Sua visão está ótima, McNab. Leve Peabody para casa. Faça com que ela tenha uma boa noite de sono, meu modo sutil de dizer para segurarem a vontade de transar como coelhos a noite toda. Ela precisa estar com a mente clara e alerta amanhã de manhã.- Tem razão. A senhora também devia tentar esse remédio. Está precisando de uma boa noite de sono." pag 368


"- Nunca mais faça isso - pediu ele. - Nós os derrotamos, minha querida Eve. Separados e juntos, nós conseguimos derrotá-los. Mesmo em meio a todos os pesadelos e amarguras, ainda saímos vencedores.Ela respirou mais devagar e perguntou:- Você vai ficar muito pau da vida quando eu lhe contar que conversei com Mira sobre isso há alguns dias?- Não. Ajudou?- Um pouco. Você me ajudou mais. - Ela brincou mais um pouco com a comida. - Você me limpou por dentro. Talvez agora meu cérebro volte a funcionar. Eu me senti completamente apagada quando cheguei em casa. Não consegui nem me lembrar de alguma ofensa criativa contra Summerset. E olha que eu andei pensando em várias." pag 384


"- Você é uma tira completa, Dallas, talvez a melhor sob o meu comando. Será que vale a pena arriscar sua carreira agora? Você poderá ser rebaixada, perder o status na Divisão de Homicídios e até sua credibilidade.Eve pensou no sonho, no rosto das vítimas anteriores e nas que ainda viriam. Sempre vai haver outra vítima, dissera seu pai. O pior é que ele estava certo.- Vale a pena sim, senhor. Se eu dese mais importância ao status  do que ao trabalho propriamente dito, nem estaria aqui na sua sala. Não estou errada, mas se estivesse eu aguentaria as consequências." pag 396




ESTA RESENHA FAZ PARTE DO #MesNoraRoberts












15 comentários :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.