Minhas impressões: A última princesa - Fábio Yabu (@fabioyabu) @GaleraRecord

Eu já havia comentado sobre este pequeno-grande livro no nosso Flash, aqui em casa somos fãs do desenho (animação) que passa no Discovery Kids 'Princesas do Mar' cujo criador é ninguém mais que o autor de 'A última Princesa', Fábio Yabu.

Eu me encantei pela capa deste livro e ainda mais pelo enredo que junta a Princesa Isabel e Alberto Santos Dumont em um livro que mescla História e ficção de maneira encantadora e surpreendente.

"Por fim, o reino da Última Princesa tornou-se um país. E sua história virou lenda. Logo, poucos se lembrariam dela." pag 101



Sinopse



Minhas impressões

A última Princesa é uma história, um romance mágico, que mescla a História com ficção, onde nem sempre sabemos o que é História ou Ficção, conta a história da última princesa brasileira, a filha do Rei Menino... a Princesa Isabel, a filha de D. Pedro II, aquela que com bravura e bondade lutou pelos escravos e assinou em 13 de maio de 1888 a Lei Áurea, a Abolição dos escravos, e sofreu muito por isso...

"Mas o rei-menino não se deixou levar pelas más influências. Pelo contrário: possuidor de nobres virtudes, guiado por tutores selecionados pelo pai antes de partir, o pequeno impressionava a todos por sua sabedoria e vontade de aprender." pag 09 

Os capítulos são intercalados entre a Princesa Isabel no exílio, convivendo com suas flores e com Alberto Santos Dumont, que vai trazendo para a vida da Princesa Isabel um pouco de sonho e magia. E outros capítulos contam o tempo no Brasil, infância e juventude. Vamos conhecendo um pouco da vida da nossa 'Última Princesa',

"- Pensei que você não acreditasse em mágica. Você não disse ser um homem da ciência?- Eu disse que não acredito em maldições, Princesa. Mas este mundo é cheio de coisas mágicas. No fundo, todo homem da ciência sabe disso." pag 80

O amor da Princesa Isabel pelo Brasil, seu lar, pelo seu povo, pelas camélias, por sua família, seu marido é mostrada por Fábio Yabu de maneira doce e mágica, cativante. 




"No Palácio de Cristal, lustrava as paredes transparentes até que elas se tornassem quase invisíveis. Também cuidava de suas camélias e frequentemente lhes recitava os sonetos do pai." pag 13



Possui algumas ilustrações, mas não são de Yabu, as ilustrações de 'A última Princesa' são de Matheus Oliveira, Mathiole.


Eu sempre amei História, tive ótimos professores, e uma das minhas professoras de História mais querida, dizia que os melhores governantes que o Brasil teve foram, nesta ordem decrescente: D. Pedro II, Juscelino Kubst e Getúlio Vargas e talvez por sua influência, sempre tive muita simpatia pelos três… lendo 'A última Princesa' percebo que D. Pedro II realmente foi um Grande Homem, um grande governante e principalmente um grande pai. A História de D. Pedro II e principalmente da Princesa Isabel me comoveu desde o início do livro.


Apesar da dor do exílio Dona Isabel teve uma velhice tranquila, instalada no castelo da família em Eu, na Normandia, propriedade de Gastão de Orléans (Castelo d'Eu). Rodeada pelos filhos e netos fez de sua casa uma embaixada informal do Brasil. Recebia brasileiros de passagem, ajudou o jovem Alberto Santos-Dumont quando desenvolvia suas invenções. Passou os últimos anos da vida com dificuldades de locomoção. Em 1920 teve a felicidade de saber que a lei que bania a Família Imperial do Brasil havia sido revogada pelo Presidente Epitácio Pessoa. (Wikipédia)

Um livro para o público infanto-juvenil, mas que conquista a todos, inclusive os velhos, como eu, por inspirar a busca pela História, por pessoas e fatos tão impostantes para o Brasil e para o mundo. Creio que precisamos de mais livros como a 'A última Princesa' para despertarmos nos jovens o interesse não apenas pela literatura quanto pela História do Brasil… ao ler o livro fui buscar mais informações sobre a Princesa Isabel, pelo período final do Império no Brasil e por fatos que eu já tinha me esquecido.


"- Princesa, eu sou um homem da ciência. Sei das coisas terríveis que aconteceram à sua família, todavia também sei de todas as coisas boas que fizeram em seu tempo, e pelas quais serão sempre lembrados.- 'Lembrados', Alberto? - Ela abaixou os braços, resignada. - Meu povo nem conhece a minha história, não se lembra de mim.- Eu me lembro. Um dia, outros se lembrarão." pag 51


Um livro pequeno e cativante que deveria, estou na torcida, por todas as escolas brasileiras, não apenas como estudo de literatura, mas como estudo de História do Brasil.

Parabéns Yabu, por mais este belíssimo trabalho, estamos aguardando mais novidades suas.


Visite o Hotsite

Sobre