Minhas impressões: Inverno do Mundo - Ken Follett @KMFollett @editoraarqueiro

Sempre gostei de História, mas o HD anda tão lotado que coisas antigas esqueci, inclusive um pouco do conteúdo de 'Queda de Gigantes', mas ao ler os livros de Ken Follett, só li a Trilogia do Século (por enquanto), me vejo relembrando e até aprendendo coisas que eu não sabia sobre as Guerras… as grandes guerras do Século XX.






Sinopse

Minhas impressões

Como disse acima eu li 'Queda de Gigantes' há um tempo, em abri do ano passado e alguns detalhes me esqueci, estou relendo os trechos principais, principalmente os relacionados aos pais dos personagens principais de Inverno do Mundo


Inverno do Mundo é um romance que tem como plano de fundo o período entre 1933 e 1949, com os horrores que antecederam e que a Europa, principalmente os alemães, não nazistas, viveram na 2a Guerra.




Assim como em Queda de Gigantes, Ken Follett nos narra as histórias de 5 famílias, agora contando sobre os filhos daqueles que conhecemos no primeiro livro:

Alemães:
  • Família Von Ulrich, Erik e Carla, filhos de Maud e Walter Von Ulrich (meu casal favorito)
  • Família Franck, Werner, Frieda e Axel, filhos de Monika e Ludwig Franck
  • Outros jovens de outras famílias: Eva Rothmann, Heinrich von Kessel.
Americanos:
  • Família Dewar, Woody e Chuck, filhos de Gus Dewar;
  • Família Peshkov, Daisy e Greg, filhos de Lev Peshkov;
Ingleses:
  • Família Fitzhebert, Boy e Andy, filhos do Conde Fitzherbert
  • Família Leckwith-Williams, Loyd e Millie, filhos de Ethel Williams Leckwith
Galeses:
  • Família Williams, os filhos de Billy Williams aparecem pouco.
Russos:
  • Família Peshkov, Vladimir (Volodya) Peshkov e Anya, filhos de Grigori Peshkov.

Eu, como boa brasileira tenho sangue de diversos povos europeus e africanos, sempre tive muita simpatia pelo povo alemão, apenas uma pequenina parte de meu sangue é alemão, mas a afinidade, admiração e carinho, principalmente depois que visitei parte do país, só aumentam e com 'Inverno do Mundo' aumentou ainda mais esta admiração, estou falando do povo alemão, aquele povo que sofreu com a 1ª Guerra (Queda de Gigantes), que sofreu nas mãos dos nazistas e depois sofreram com os comunistas russos e lutaram com muita dificuldade e dignidade para reerguer o seu país, restabelecer a sua democracia e ser hoje o país mais forte dentro da Europa e da Zona do Euro. Talvez por isso ou por Walter e Maud Von Ulrich serem meu casal favorito de Queda de Gigantes, senti falta de mais detalhes da história de amor da filha deles, Carla que é uma menina forte (como a mãe) desde o início do livro, e assim como os pais tem a força no caráter e bondade de coração, luta contra os Nazistas e também contra os comunistas que depois do final da Guerra dominaram Berlim com brutalidade e ignorância. Ela sofreu muito durante todo o livro e as partes boas da sua vida, a concretização de seu amor, não foi mostrada a fundo.

Mesmo sabendo as atrocidades da Guerra e os 'feitos' dos nazistas e comunistas sofri com alguns fatos narrados por Ken Follett. Principalmente ao descrever as tristezas do povo alemão, no período pós 1ª Guerra, durante a 2ª Guerra e após. O livro narra o período entre a ascenção de Hitler ao poder (1933) na Alemanha e o início da reconstrução alemã pelos aliados, com a ajuda do Plano Marshall (americano) em 1949.

Na história 'visitamos' a Alemanha de 33 com a visita de Ethel e Lloyd a família Von Ulrich quando os nazistas estão tomando o poder e formando o 3º Reich

"- Mas você nasceu na Inglaterra - disse Ethel.- Um país é antes de tudo as pessoas que vivem nele - disse Maud. - Eu não amo a Inglaterra. Meus pais morreram faz tempo e meu irmão me renegou. Amo a Alemanha. Para mim, a Alemanha é Walter, meu marido maravilhoso; Erik meu filho descaminhado; é Carla, minha filha incrivelmente esperta; é Ada e seu filhinho deficiente; é minha amiga Monika e sua família; são meus colegas jornalistas... Eu vou ficar para enfrentar os nazistas." pag 82 conversa entre Maud e Ethel logo após o início da ditadura do 3º Reich - 1933

'Visitamos' a Guerra Civil Espanhola através de Lloyd e mais alguns Galeses que vão participar, a fim de ajudarem os rebeldes contra o General Franco.

"Lloyd examinou o mapa. Zaragoza ficava bem acima do rio Ebro, a uns 160 quilômetros da foz do Mediterrâneo. A cidade era o pricnipal centro de comunicações da região de Aragão. Era um cruzamento importante, uma plataforma ferroviária, ficava na confluência de três rios. Era ali que o Exército espanhol combatia os rebeldes antidemocratas numa árida terra de ninguém." pag 238

A Guerra em Inverno do Mundo não é contada com tantos detalhes, mas mesmo assim, vivemos de dentro de uma lancha, juntos da família Dewar, o bombardeiro de Pearl Harbour.

"Então um estrondo dez vezes mais potente que os outros ecoou da Fila dos Encouraçados. A explosão foi tão violenta que Chuck sentiu seu impacto com um golpe no peito, embora já estivesse a um quilômetro de distância. Chamas foram cuspidas da torre de tiro número  2 do Arizona." pag 538 

Perdi e sofri com personagens queridos os horrores que a Guerra causou a tantas pessoas. Me encantei por Werner Franck, Lloyd Williams, Woody Dewar e também pelo russo Volodya Peshkov, os casais que se formaram neste livro são muito simpáticos e tenho certeza farão diferença assim como seus filhos que já começaram a nascer em Inverno do Mundo terão papéis importantes no  3º livro da Trilogia, que deve se chamar 'Edge of Eternity' e será, como disse acima sobre a próxima geração durante a Guerra fria, e será lançado em 2014.

Abaixo citação do site de Ken Follett:


The third novel, Edge of Eternity, will be about the next generation during the Cold War, and is due out in 2014.
Traduzindo (tradução do título literal):
O terceiro livor, 'Borda da Eternidade', será sobre a próxima geração durante a Guerra Fria, e será lançado em 2014.

Ken Follett já vai preparando, costurando, a trama para o próximo livro e mostrando seus pensamentos sobre a guerra e a visão 'guerricista' dos Republicanos, a qual eu concordo.

"- O povo americano quer uma cooperação internacional para nunca mais termos outra guerra como esta -  continuou. - Quem poderia ser contra isso?- Você ficaria surpreso. Veja bem, a maioria dos republicanos é gente de bem, só que com uma visão de mundo diferente da nossa. Mas existe também um núcleo duro formado por uns loucos de merda." pag 746 Conversa entre Woody e seu pai Gus Dewar.
Vemos no final do livro uma Berlim dividida, uma Alemanha sofrida que terá a juda dos aliados para sua reconstrução, mas parte dela sob o julgo dos russos, que cometeram tantas atrocidades com os alemães e com seu próprio povo. O radicalismo é a maior dificuldade do mundo.

"Enquanto isso, a cidade fora dividida em quatro setores: russo, americano, britânico e francês. Diversos prédios que continuavam de pé foram requisitados pelas tropas de ocupação. Os berlinenses moravam onde podiam, muitas vezes buscando abrigo inadequado nos cômodos restantes de imóveis parcialmente destruídos. O fornecimento de água corrente fora normalizado e a energia elétrica era intermitente, mas era difícil encontrar combustível para a calefação e a cozinha." pag 816


Um livro que é BEST Seller em vários países... não entendo porque os brasileiros não o tem em alta... e compram a fim de esta magnífica Trilogia estar entre os mais vendidos por aqui também. Está nas listas dos mais vendidos da Veja, mas ainda precisa subir bastante para estar em primeiro. (Na Veja desta semana ele está em 8º lugar).


capas pelo mundo


Esta abaixo, é uma citação da minha resenha de Queda de Gigantes, mas preciso falar a mesma coisa, ser redundante, mas é a mais pura verdade:
Ken Follett consegue escrever os horrores da guerra... as dificuldades pelas quais passam todos os envolvidos... tantos os que estavam no fronte de batalha... quanto seus familiares que os ficaram esperando...


Para quem não sabe, Ken Follett é um grande autor inglês, que tem diversos livros publicados em várias línguas… seus livros são romances históricos para quem como eu, gosta de ter a História como 'pano de fundo' para as histórias dos personagens. Aqui uma entrevista do pessoal da Livraria Cultura com o mestre Ken Follett:

4 comentários :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.