Minhas impressões (MI-87/13): Origem Mortal - J. D. Robb (Nora Roberts) @BertrandBrasil #SérieMortal21


Nora Roberts me encanta com todos os seus livros... sejam dos antigos, dos novos, sejam stand-alone, sejam Trilogias, Quadrilogias ou séries e sagas... até hoje, depois de vários livros da diva nenhum livro que li não me encantou, todos... todos me encantaram de alguma forma. Esta semana trouxe três resenhas da DIVA, porque temos novidades dela em todas as três editoras que agora nos trazem a diva para o Brasil...
A série Mortal é de longe e sem sombra de dúvidas a minha série preferida, ela mistura na medida certa o drama policial, mistério, com o romance, que é romance Nora Roberts, nem preciso dizer muito. Outras séries policiais não conseguem mesclar o mistério e o romance como Nora consegue nesta maravilhosa série... os assassinatos são cruéis, o suspense é enorme, mas a sensibilidade e criatividade de Nora fazem desta série a mais bem sucedida dentre todas as que ela escreve. Nos EUA já temos mais de 37 livros, além das novellas e estórias incluídas em antologias nos EUA, e este livro - ORIGEM MORTAL - é o 21º e que chega ao Brasil pelas mãos da Editora Bertrand neste mês de novembro/2013.

"Qualquer que seja o nosso DNA, é a aventura de viver e de ser que nos torna do jeito que somos. Acho que precisamos amar, por mais que isso possa parecer frívolo. Precisamos amar para nos sentirmos realmente vivos e verdadeiramente humanos." pag 301 - Louise para Roarke
"Foi a morte que fez com que Eve e eu nos conhecêssemos. E por mais que isso pareça frívolo, existem momentos em que eu sinto que foi ali que eu respirei de verdade pela primeira vez na vida." pag 302 - Roarke para Louise

Sinopse
Primeiro capítulo

Minhas impressões

Neste livro vamos lidar com a ética na medicina, nas pesquisas genéticas e estéticas, e o que a vaidade, não apenas das pessoas simples, quanto as dos médicos e pesquisadores, podem levar. Não é a primeira vez que a Série Mortal traz a medicina como plano de fundo, mas em Origem Mortal, Nora nos faz pensar sobre para onde estamos caminhando em busca de uma estética desmedida, imposta por quem?

"-Veja só o nariz delas. - Peabody deu um tapinha em um dos posteres em 3D que enfeitavam as paredes do elevador - Rostos perfeitos e corpos esculpidos modelados para encantar os visitantes. - Eu escolheria aquele nariz. Tem formas finas e bem definidas. Igual ao seu.
- É apenas um nariz. Algo instalado em sua cara para suprir os pulmões de ar, por meio de duas convenientes narinas.
- Sim, para você é fácil dizer isso, dona Narizinho-bem definido." pag 26

Além das pesquisas que podem levar a criações bizarras, onde os pesquisadores podem ter certeza que são 'deuses'.
"Os debates sobre o estudo e a criação artificial de gêmeos idênticos voltam à cena de tempos em tempos. Embora eu me oponha fundamentalmente a isso, reconheço que é um assunto poderoso. E repleto de possibilidades. Replicar seres humanos em laboratório, selecionar alguns traços e características, eliminar outros. Quem decide quais são os parâmetros para isso? O que fazer com os resultados falhos, que sempre acontecem em qualquer tipo de procedimento experimental? Repito: se Dallas estiver na trilha certa, a que tipo de tentação um homem de reputação inatacável como Icove poderá ter cedido? Usar clones como mercadorias?" pag 300

Roarke estava viajando e Eve estava sofrendo uma crise de abstinência, impossível de não acontecer, já que ele é altamente 'viciante' e um marido perfeito, não por ser o 'dono do mundo' mas por ser o amigo, o confidente, aquele que cuida, aquele que coloca no colo, e que demonstra perfeitamente todo o amor que sente por sua esposa.
"- Quando é que Roarke volta para casa?
Exibindo um ar de estranheza, Eve parou de caminhar pela sala de espera e encarou a parceira.
- Por que quer saber?
- Você anda muito agitada. Mais que o normal. Acho que está sofrendo de 'síndrome de abstinência de Roarke'. - Peabody emitiu um longo suspiro e completou: - Quem poderia culpá-la?" pag 13

Quando Roarke, retorna de uma semana de viagem, o reencontro dos dois é tão lindo... é incrível como o amor dos dois, mesmo com todas as dificuldades de seus passados e até de como eles são, principalmente Eve, é enorme e suporta tudo...

"Foi então que seu coração acelerou um pouco e algo fez sua pele estremecer de arrepio. Ergueu a cabeça e viu Roarke no alto da escada.
Não era possível ele ter ficado mais lindo do que era uma semana antes. sob a luz cintilante do saguão, porém, foi exatamente isso que pareceu a ela.
O rosto de Roarke - a força, o poder e, sim... a beleza de um anjo caído e sem arrependimentos - estava emoldurada pelo preto sedoso de seus cabelos. Sua boca - com lábios cheios, esculpidos e irresistíveis - lhe sorriu enquanto ele desceu lentamente em sua direção. Seus olhos - de um azul impossivelmente brilhante - quase a ofuscaram no instante em que focaram o ponto onde ela estava, na base da escada.
Ele a fez se sentir fraca, como se, subitamente, seus joelhos tivessem virado geleia. Tolice, quanta tolice, pensou Eve. Ele era seu marido, e ela o conhecia como nunca tinha conhecido outro homem. Mesmo assim seus joelhos pareciam ceder, e seu coração lhe martelava o peito. Bastava olhar para Roarke e tudo aquilo acontecia." pag 84

Vejam bem a capa aberta... percebam este casacão de couro da diva... este é o presente que Roarke traz para Eve da viagem, de uma semana. Abaixo a reação dela ao presente:
"- Oh!... Oh, uau!
- Uma reação atípica para você, tenente - brincou ele, com um sorriso, mas ela já tirava o casacão de couro preto da caixa e enterrava o nariz nele, sentindo o perfume.
- Caraca, puxa vida! Ela o vestiu e deu dois giros com o corpo, enquanto ele a observava. A peça batia acima dos tornozelos, tinha bolsos fundos e o couro era macio como manteiga.
(...)
- Um belo presente. Obrigada!" pag 106

Acontecem assassinatos e Eve com toda sua astúcia, logo descobre o que está por trás dos assassinatos e até quem faz parte deles, mas apesar de perceber certa semelhança com seu passado ela busca a verdade e a justiça.

"- Todas as vítimas me magoam. Mesmo quando o caso não tem nada a ver com o que aconteceu comigo na infância. Todo caso cobra um preço caro para ser resolvido.
- Eu sei. - Ele beijou-lhe a mão. - Mas alguns são muito mais caros que outros.
- Você vai convidar sua família para passar o Dia de Ação de Graças aqui em casa e vai se magoar com isso. Sua mãe não estará presente e você vai pensar nela. Não conseguirá se impedir de lembrar o que aconteceu com ela quando você era bebê. Isso vai magoá-lo, mas não impedirá de convidar sua tia e os outros parentes. Fazemos o que sentimos necessidade de fazer, Roarke. Nós dois somos assim.
- É verdade." pag 105
No livro também é novembro, e Roarke está preparando um grande dia de 'Ação de Graças' trazendo sua família, por parte de mãe, que ele descobriu em Retrato Mortal, e não é muito fácil para eles lidarem com os preparativos, não apenas pelas investigações, mas também com o fato de lidar com família, principalmente para Eve que nunca teve família, pois Roarke sempre teve Summerset, que foi mais do que seu pai verdadeiro.

"- Como você está se saindo com eles? - quis saber Eve.
- Há uma miríade de sentimentos entrando e saindo de mim. - Ela acariciou-lhe os braços e deu um passo para trás.
Tocá-lo, percebeu Eve. Manter contato físico. Talvez fosse disso que ambos precisassem.
- Eu estou muito satisfeito por eles estarem aqui. Nunca sonhei que um dia fosse receber um parente de sangue debaixo do meu teto. - Soltou uma risada meio abafada. - Na verdade, nunca imaginei que houvesse parentes vivos com os quais pudesse me importar em receber bem. Ainda não consigo acompanhar a velocidade dos acontecimentos. Não sei como analisar cada um deles, juro por Deus." pag 433


A 'família' de amigos, está toda neste livro, aparecem de formas a abrandar o suspense, como Mavis, sua barriga e alegria... temos Louise e Charles, Peabody e MacNab, Feeney e cia... além da Dra. Mira que tem uma relação pessoal, de amizade, com uma das vítimas e quando descobre que eles não eram tão vítimas assim fica assustada, magoada e ela e Eve tem uma discussão, mas quando elas fazem as pazes, mostra o quanto a doutora é meio mãe de nossa querida tenente Eve Dallas.

"- Muito bem. - Mira foi até a porta, mas parou. - Entenda que tenho todo o direito de ficar um pouco chateada, Eve; também tenho direito de ter uma bela explosão irracional como a de hoje, motivada pela raiva e por sentimentos feridos.
- E eu tenho o direito de esperar que as senhora seja perfeita, doutora, porque é assim que eu a vejo. Portanto, se a senhora começar a sair por aí agindo como uma descontrolada, parecendo humana como o resto de nós, isso vai me desconcertar e confundir.
- Puxa, quanta injustiça você me dizer isso! Mas é comovente, Eve... Você sabia que não existe mais ninguém no mundo que consiga me irritar tanto quanto você? Com exceção de Dennis e de meus filhos, é claro.
- Acho que isso também é comovente, mas me pareceu uma bofetada de luva - disse Eve, enfiando as mão nos bolsos.
Um sorriso se abriu no rosto de Mira.
- Esse é um velho truque de mãe, um dos meus favoritos. Boa-noite, Eve." pag 383

Eve está mais irascível, mais desbocada, mas sua essência é sempre boa, em busca da bondade e justiça... e tentando aprender a lidar com as pessoas e até com crianças...

"- Você se lembra do dia em que nos conhecemos? (...)
- Naquele caso você lutou contra os procedimentos corretos, a lei levada ao pé da letra - continuou. - Mas já tinha, e sempre teve, um claro senso de justiça. As duas coisas são verdadeiras. Você sempre lutará contra essa dualidade, mas conseguirá enxergar o que é correto. É isso que a torna tão boa no que faz quanto o distintivo que usa. Nunca em minha vida conheci alguém que tenha uma antipatia tão radical contra as pessoas e, ao mesmo tempo, demonstre uma compaixão tão profunda e generosa para com elas." pag 407

Eve e Roarke trabalham muito, muito bem em todos os sentidos e o fato de ele ser tão bom em tudo o que faz leva os dois à finalização do caso juntos... assim como acontece em outros livros da série, eles estão juntos com os bandidos no final.

"- Então, vamos para casa. - Ele emoldurou o queixo dela com as mãos e beijou-lhe as sobrancelhas, o nariz e os lábios. - Você e eu temos de dar muitas graças no feriado de hoje.
- Sim, é verdade, temos mesmo." pag 486


Eu nem preciso dizer e qualificar este livro... mas segue as minhas 'estrelinhas':

Já estou em contagem regressiva para o próximo livro, o 22º, Recordação Mortal, cuja sinopse está no final de Origem Mortal e me deixou mega curiosa.


Os livros e seus nomes e datas de lançamentos em inglês, conforme o site oficial da autora:
  1. Naked in Death, July 1995 - Nudez Mortal
  2. Glory in Death, December 1995 - Glória Mortal 
  3. Immortal in Death, July 1996 -  Eternidade Mortal
  4. Rapture in Death, October 1996 - Êxtase Mortal
  5. Ceremony in Death, May 1997 - Cerimônia Mortal 
  6. Vengeance in Death, October 1997 - Vingança Mortal 
  7. Holiday in Death, June 1998 - Natal Mortal
  8. Conspiracy in Death, April 1999 - Conspiração Mortal
  9. Loyalty in Death, October 1999 - Lealdade Mortal
  10. Witness in Death, March 2000 - Testemunha Mortal
  11. Judgment in Death, September 2000 - Julgamento Mortal
  12. Betrayal in Death, March 2001 - Traição Mortal 
  13. Seduction in Death, September 2001 - Sedução Mortal
  14. Reunion in Death, March 2002 - Reencontro Mortal
  15. Purity in Death, September 2002 - Pureza Mortal
  16. Portrait in Death, March 2003 - Retrato Mortal
  17. Imitation in Death, September 2003 - Imitação Mortal
  18. Divided in Death, January 2004 - Dilema Mortal
  19. Visions in Death, August 2004 - Visão Mortal
  20. Survivor in Death, February 2005 - Sobrevivência Mortal
  21. Origin in Death, July 2005 - Origem Mortal
  22. Memory in Death, January 2006
  23. Born in Death, November 2006
  24. Innocent in Death, February 2007
  25. Creation in Death, November 2007
  26. Strangers in Death, February 2008
  27. Salvation in Death, November 2008
  28. Promises in Death, February 2009
  29. Kindred in Death, November 2009
  30. Fantasy in Death, February 2010
  31. Indulgence in Death, November 2010
  32. Treachery in Death, February 2011
  33. New York to Dallas, September 2011
  34. Celebrity in Death, February 2012
  35. Delusion in Death, September 2012
  36. Calculated in Death, February 2013
  37. Thankless in Death, September 2013


Além dos livros acima, temos:

In Death Novella (já li)

Robb novella included in Remember When (featuring two connected stories from Nora Roberts and J. D. Robb), May 2004 - Este livro temos duas histórias, uma assinada como Nora Roberts e outra como J. D. Robb e passada no tempo futuro de Eve Dallas);
Big Jack, March 2010 (stand-alone publication) - esta é a história incluída no livro acima, assinada como J. D. Robb.

In Death stories included in Anthologies

Midnight in Death,” Silent Night, November 1998 -  Entre os livros 7 e 8
Interlude in Death,” Out of This World, August 2001 - Entre os livros 12 e 13
Haunted in Death,” Bump in the Night, April 2006 - Entre os livros 22 e 23
Eternity in Death,” Dead of Night, November 2007 - Entre os livros 25 e 26
Ritual in Death,” Suite 606, November 2008 - Entre os livros 27 e 28
Missing in Death,” The Lost, December 2009 - Entre os livros 29 e 30
Possession in Death,” The Otherside, November 2010 - Entre os livros 31 e 32
"Chaos in Death," The Unquiet, September 2011 - Entre os livros 33 e 34
"Taken in Death," Mirror, Mirror, October 2013 - Entre os livros 37 e 38 (próximo a ser lançado em inglês, no ano que vem)

16 comentários :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.