Minhas impressões (MI:13/2017): Ligeiramente Perigosos - Mary Balogh #OsBedwys06

Acabou a série? Eu quero mais... mas eu quero mais de Wulfric Bedwyn... mais desta família encantadora.


A Série
  1. Slightly Married - Ligeiramente casados  - Aidan Bedwyn & Eve Morris
  2. Slightly Wicked - Ligeiramente maliciosos - Rannulf Bedwyn e Judith Law
  3. Slightly Scandalous - Ligeiramente escandalosos - Freyja Bedwyn & Joshua Moore
  4. Slightly Tempted - Ligeiramente seduzidos - Morgan Bedwyn & Gervase Ashford
  5. Slightly Sinful - Ligeiramente pecaminosos - Alleyne Bedwyn & Rachel York
  6. Slightly Dangerous - Ligeiramente perigosos - Wulfric Bedwyn & Christine Derrick


Compre na Amazon Brasil


Minhas impressões

Desde o primeiro livro da série, Ligeiramente casados, lançado em 2014, que tenho curiosidade sobre Wulfric Bedwyn, o Duque de Bewcastle, o irmão mais velho, mas que mesmo que a diferença de idade entre alguns dos irmãos seja pequena, Wulf é tão sério, tão carrrancudo, e poderoso, que emana um poder e afasta as pessoas de si. Agora, depois que todos os outros irmãos Bedwyn estão casados e felizes, Wulfric começa a se sentir meio solitário... principalmente porque a amante, que manteve por anos, morreu há pouco tempo.


"Era gratificante, pensou Wulfric enquanto pegava uma das penas e a posicionava entre os dedos para escrever, ver seus irmãos e irmãs todos casados e estabelecidos na vida. Seus deveres em relação a eles haviam sido satisfatoriamente cumpridos.
Mas a Casa Bedwyn parecia vazia sem todos eles. Mesmo quando Morgan estivera na cidade, ela obviamente não ficara hospedada ali.
Lindsey Hall, a base principal de Wulfric em Hampshire, ia parecer ainda mais vazia." posição 5%


Christine Derrick é uma viúva que após perder o marido há dois anos, voltou para a casa da mãe no campo e vive afastada da família do marido, que a rejeita por vários motivos. Mas Christine mora perto da prima do marido a baronesa Renable, que está organizando uma temporada festiva no campo e precisa que Christine complete os casais, já que vai receber um hóspede nobre e improvável: o Duque de Brewcastle.

"Tinha sido casada durante sete anos com irmão de Basil, Oscar Derrick, visconde de Elrick e primo de lady Renable. Eles se conheceram em Schofield Park, na primeira festa que Melanie organizou após seu casamento com Bertie, o barão de Renable. Foi um belo casamento para Christine, filha de um cavalheiro dotado de posses tão parcas que se vira obrigado a completar sua renda tornando-se professor da escola do vilarejo." posiçao 2%

Logo na primeira troca de olhares entre Christine e Wulfric já acontece algo que ambos não conseguem entender, tamanha a força...

"Olhos que pareceram transpassá-la e alcançar sua nuca. Não conseguir ter certeza da cor - azul-claros? Cinza-claros? -, mas estava próxima o suficiente para conseguir sentir o efeito deles.
Não era de espantar que o homem tivesse a reputação que tinha.
Por um rápido instante, Christine teve a impressão muito nítida de que o Duque de Bewcastle poderia ser um homem perigoso. O coração dela batia intensamente, como se ela tivesse acabado de ser pega espiando por um buraco de fechadura enquanto algum escandâlo se desenrolava no cômodo." posição 7%


Com o passar dos dias nas festividades que ocorrem em Schofield Park, tanto Christine quanto Wulfric não conseguem se manter afastados por muito tempo, eles são muito diferentes, ela é uma pessoa alegre, comunicativa, de riso fácil e ele, como eu já disse acima, um homem carrancudo, que ninguém nunca vê sorrindo.


"Se fosse sincera, Christine teria de admitir que o achara fascinante de um modo quase assustador. E ele sem dúvida era dono de um belo perfil... e de um físico que mais do que combinava com o rosto." posição 17%

"E no entanto, ao passo que todas as outras jovens estavam rapidamente se tornando quase indistinguíveis umas das outras aos olhos de Wulfric, ele se flagrara pensando na Sra. Derrick com uma frequência excessiva. Ela era dona de lindos olhos e de um roto belo e bem-humorado - mesmo que este rosto estivesse de certo modo comprometido pelo bronzeado e pelas sardas -, que conseguia ficar ainda mais arrasadoramente belo quando ela ria ou se envolvia em alguma atividade vigorosa." posição 21%


E quando enfim ocorre o primeiro beijo... Wulfric começa a se sentir diferente, não entende o que acontece com seu corpo, com seu coração e com seus pensamentos...

"(...) inspirou o hálito cálido dela, entorpeceu os sentidos com o cheiro dela. Wulfric manteve a mão dela entre as dele e sentiu como se algum âmago de gelo que sempre mantivera suas emoções seguramente aprisionadas estivesse se aquecendo, derretendo e se infiltrando nas veias." posição 27%


O que não é diferente para Christine, que apesar de se sentir atraída fisicamente pelo Duque Bewcastle, não quer se envolver com Wulf, por serem tão diferentes.

"Christine o odiava apaixonadamente. E esta era uma constatação alarmante. Teria preferido sentir-se indiferente a ele." posição 35%


Com tantas coisas que acontecem entre Christine e Wulfric, o Duque de Bewcastle tem que lutar muito, e se mostrar por inteiro, alma e coração, para Christine para conseguir um SIM.

"- (...) Não pretendo me casar de novo. Mas se me casasse, só poderia ser com um homem que tivesse todas as qualidades que o senhor acaba de repetir para mim. E é uma impossibilidade, entenda. Nenhum homem jamais poderia ser todas essas coisas, ou se encaixar completamente naquele sonho. Sendo assim, escolhi permanecer solteira e livre." posição 60%

A família Bedwyn vai toda, inclusive a tia Rochester, querendo que Wulf case, para Lindsey Hall passar a Páscoa.

"- E está mais do que na hora de você se casar, Bewcastle. Trinta e cinco anos é uma idade perfeita, mas ao mesmo tempo perigosa para um homem. É a idade ideal para se casar e perigosa se procrastinar. Um homem não deseja ser invalido, sofrendo de gota, antes que seu herdeiro ao menos no berçário." posição 62%

E além da família Bedwyn o Duque de Bewcastle chama os nobres parentes por casamento da Senhora Derrick, para convidá-la... e então tentar conquistar aquela que o conquistou sem que ele imaginasse ser possível.

"Ele nunca buscara a felicidade. Nunca a considerara importante. Nunca nem sequer acreditara nela. Ou talvez houvesse acreditado. Ao longo dos últimos três anos, vira cada um de seus irmãos encontrar a felicidade e vivê-la. Vira todos aqueles Bedwyns impetuosos, às vezes frios e até desprovidos de coração, permanecerem impetuosos, porém se tornarem mais satisfeitos, quase domesticados." posição 68%


Me apaixonei ainda mais por Wulfric Bedwyn... e pela série Os Bedwyns e quero reler cada um dos livros, porque está difícil me separar desta família. Espero que a Arqueiro traga para nós mais livros de Mary Balogh.


Minhas impressões (M12/2017): Irmãos de Sangue - Nora Roberts #ASinadoSete01

Olá pessoal!!! Me desculpem a demora em postar alguma novidade por aqui, minha vida está mega corrida e eu fiquei sem computador por uns dias, mas hoje venho trazer a resenha do primeiro livro de mais uma Trilogia da minha, da nossa, diva: NORA ROBERTS.


A trilogia 'A sina do Sete' foi lançada originalmente há 10 anos e agora chega ao Brasil.

A Trilogia:

  1. Irmãos de Sangue
  2. A Maldição de Hollow
  3. A Pedra Pagã

Sinopse

Compre na Amazon Brasil:


Minhas impressões

Esta Trilogia é mais uma das trilogias mágicas (fantásticas) de Nora, e como já li várias de suas trilogias me senti sabendo o que ia acontecer... mas é sempre bom ver como apesar das coisas obvias - três amigos, irmãos, primos ou amigos, ligados a um 'suspense mágico' que se relacionam amorosamente com seus pares, formando um círculo de três casais - Nora consegue criar novos mundos, novos amores, novos mistérios e tudo é muito bom.

O Prólogo deste primeiro livro acontece em 1652, no Maryland, quando acontece uma magia, do bem, muito forte numa clareira, prendendo um demônio por séculos, até que os descendentes do bruxo do bem consigam vencer o mal.

"- Para vocês - murmurou. - Filhos dos filhos. Três partes de um. Na fé, na esperança, na verdade. Uma luz unida para combater as trevas. Eis meu juramento: não descansarei até o destino ser cumprido." posição 1%

Em seguida, viajamos para uma noite de verão de 1987, quando Caleb (Cal) Hawkins, Fox O'Dell e Gage Turner completam 10 anos, e vão viver uma aventura infantil na floresta, mas ao fazerem um juramento, se tornando 'irmãos de sangue'... liberaram o mal, um mal que causou à cidade de Hawkins Hollow uma 'peste' de 7 dias... e que se repete a cada 7 anos.

"-Três em um e um em três.
Cal estendeu o braço. Fox e depois Gage esfregaram seus pulsos marcados no dele.
- Irmãos em espírito e mente. Irmãos de sangue para todo o sempre." posição 10%

Em fevereiro de 2008, as coisas ruins, os pesadelos que antecedem 'O SETE' estão começando mais cedo neste ano, quando Cal, Fox e Gage irão completar 31 anos, em julho, após viverem os terrores 'do sete' aos 10 anos, aos 17 anos e aos 24 anos... estão ansiosos e mais preocupados com o que vai acontecer neste ano.

"A cada sete anos desde seu décimo aniversário, sobrevivia ao pesadelo que afligia aquele lugar. E a cada sete anos, ajudava a reparar suas consequências." posição 11%

"- Quando tínhamos 17 anos eles começaram cerca de uma semana antes do nosso aniversário. Quando tínhamos 24, mais de um mês antes. Agora, cinco meses antes. Estou com medo de que essa possa ser a última vez para nós e a cidade." posição 13% 

Neste fevereiro Cal está recebendo uma escritora de livros sobre mistérios, que está interessada nos mistérios de Hawkins Hollow. Quinn Black adorava escrever sobre cidades estranhas, fora do padrão, escrevia artigos, até que escreveu um primeiro livro sobre uma cidade do Maine e depois uma na Lousiana e agora estava super curiosa sobre o que encontraria em Hawkins Hollow.

"Não, não era justo chamá-la de estranha. Objetividade em primeiro lugar. Talvez sua pesquisa a tornasse propensa a rotulá-la assim, mas não se convenceria até ver por si mesma, fazer entrevistas e anotações, vasculhar a biblioteca local. E talvez, mais importante ainda, ver pessoalmente a Pedra Pagã." posição 13%

E das coisas já esperadas nos livros de romance... ocorre a ligação amorosa do primeiro casal, Cal e Quinn, logo no primeiro encontro.

"Antes de poder se mover na direção da casa, a porta da frente se abriu. A sensação de déjà-vu foi forte, quase estonteante. Ele em pé na porta da cabana, o sangue como flores vermelhas na camisa.
Não podemos ficar mais.As palavras soaram em sua cabeça, claras, e em uma voz conhecida.
- Srta. Black?
Ela voltou rapidamente à realidade. Não havia cabana nem sangue na camisa dele. Apenas um homem em pé no terraço da encantadora casa. Não havia nenhuma força de um grande amor nem sofrimento brilhando nos olhos dele." posição 14%


Quinn quer saber tudo sobre a noite do aniversário dos três... quer descobrir o porquê dos mistérios, mas se sente ligada de uma forma muito forte, ao mistério, à cidade e ao homem que é um dos três. Ela sonha, ou tem pesadelos, tem visões como Cal, Fox e Cage...

"Também estava preocupado com o sonho de Quinn. Ele havia reconhecido o lugar em que ela estivera e o que vira. O fato de Quinn ter sonhado tão lucidamente com o lago e a clareira, e saído machucada disso, significava que ela devia estar de algum modo conectada." posição 25%

Vai ficando impossível para Quinn não se sentir parte importante do mistério e até de 'curar' a cidade... principalmente quando chega à cidade mais uma mulher, Layla Darnell, que se sentiu compelida a viajar de New York até Hawkins Hollow, sem nunca ter ouvido falar da cidade ou dos mistérios da cidade, mas que pode ter as mesmas visões e sonhos que Quinn e os três 'irmãos de sangue'.

"- Já vimos muitas coisas. Para mim é a pergunta principal, por que vocês o estão vendo e por que agora?
- Tenho uma teoria.
Cal se virou para Fox.
- Qual?
- Conexões. Você mesmo disse que devia haver uma conexão para Quinn ver isso, ter o sonho...
- Sonhos. - Layla ergueu a cabeça. - Você teve sonhos?
- Aparentemente você também - continuou Fox. - Precisamos estabelecer a conexão com Layla." posição 31%

Temos à partir da chegada de Layla, o segundo casal: Layla e Fox... e o terceiro casal, chega na cidade, no mesmo dia, e em um caso de muita coincidência, chegam juntos a Hawkins Hollow, Cybil Kinski e Gage.

"- Não vou chamar um reboque a esta hora da noite e ficar sentada no meio do nada. Você vai me dar uma carona.
- Vou?
- A culpa é sua. Pelo menos parte dela.
- Que parte?
- Não sei, mas estou cansada demais, zangada demais e perdida demais neste lugar estranho para querer saber. Preciso de uma carona.
- Às suas ordens. Para onde?
- Hawkins Hollow." posição 63%


Quinn, Layla e Cybil se tornam companheiras de casa, alugam uma casa para se tornarem moradoras de Hawkins Hollow pelo menos até julho... quando 'O SETE' retornar...

"- Vocês três voltaram para lá juntos?
- Sim, mais de uma vez. - Ele a olhou de relance. - Posso garantir que voltar perto dos Sete não é uma experiência que anseio por repetir.
- Os Sete?
- É como chamamos a semana em julho.
- Fale-me mais sobre o que acontece durante os Sete.
(...)
- As pessoas em Hollow se tornam más, violentas, até mesmo assassinas. Fazem coisas que nunca fariam em nenhum outro período. Destroem propriedades, se espancam, começam incêndios. Pior." posição 34%


A relação de Cal e Quinn é meio que parte secundária na trama total... mas é forte e linda, eles se tornam unidos desde o início e mesmo com tudo que vão descobrindo se tornam mais e mais próximos e únicos.

"Ela pôs os braços ao redor do pescoço de Cal e pousou sua testa na dele. Precisava apenas respirar por um momento, assimilar a beleza daquilo como frequentemente fazia com uma grande obra de arte ou uma música que levava a lágrimas.
- Este é realmente um bom dia. - Quinn encostou seus lábios nos dele.  Na verdade, um ótimo dia." posição 82%

Amei o livro, mesmo que ele, ou as relações e suspense sejam um tanto ou quanto óbvias para quem já leu mais 100 livros (contando com os da Série Mortal) desta autora que está no meu TOP 3 dentre as favoritas. Se quiserem conhecer todas as minhas resenhas de livros Nora Roberts, visite aqui a pagina especial desta DIVA!



Minhas impressões (MI-11/2017): Quando a Bela domou a Fera - @eloisajames

Minha primeira leitura de Eloisa James foi um livro de memórias, Paris Apaixonada... e sempre fui louca para ler seus Romances de época, porque dá para perceber o quanto amo Romances de época, né?


Minhas impressões

Este livro, como o nome já indica, é uma releitura moderna, apesar de ser de época do conto de fadas A Bela e a Fera... e neste mês de março que tivemos uma 'releitura' do desenho animado da Disney, agora em filme, com atores encenando os personagens principais, nada melhor do que chegar ao Brasil o primeiro romance de época de Eloisa James, exatamente a versão dela de A Bela e a Fera. Eu não sei se gostei mais do filme ou deste livro.

Linnet Thrynne é a Bela, a mulher mais bela da Inglaterra, mas que por causa da fama da mãe - uma mulher que foi tão linda quanto adúltera - sofre um preconceito da sociedade inglesa, o que faz com que ela tenha que ser retirada de Londres, com uma possível gravidez (apenas para os fofoqueiros de plantão) a fim de se casar com a Fera, que vive em Gales.


"(...) é rara a mulher que, de fato, ofusca o brilho do sol. Ainda mais uma mulher com dentes perolados, voz de cotovia e um rosto tão lindamente esculpido que os anjos chorariam de inveja.
Linnet Berry Thrynne tinha todos estes atributos, com exceção, talvez, da fala melodiosa de uma cotovia. Ainda assim, sua voz era perfeitamente aceitável e já haviam lhe dito que sua risada era como o ressoar de sinos dourados e (apesar de não serem cotovias) como canções de pintarroxos." posição 1%

A Fera é Piers Yelverton, conde de Marchant e herdeiro do duque de Windebank, um grande médico, de grande inteligência, e beleza, que vive em um castelo em Gales, mas que por causa de um acidente quando era criança vive com uma dor insuportável e uma bengala e um temperamento irascível. Por isso a fama de 'Fera'... mas seu pai, que não o vê há mais de 20 anos resolve aparecer com uma noiva, uma noiva que ele não pediu e não quer.

"- Se você quiser continuar segurando meu braço, vai ter que trocar para o lado esquerdo - disse Marchant. - Apesar, é claro, de sempre haver a possibilidade de você descer as escadas sozinha.
Linnet foi para o lado esquerdo del, só para irritá-lo. Dessa vez, ela passou os dedos por debaixo do braço dele. Ela até que gostava de todos aqueles músculos sob sua mão. Parecia que estava domando uma fera selvagem.
- Suponho que você ache que eu vou me apaixonar por você - disse ele.
- Muito provavelmente." posição 20%

A relação de Linnet e Piers é desde o início muito sincera e sem meias palavras, eles falam o que pensam um do outro, e até mesmo sobre seus passados... a relação começa como uma provocação, mas eles vão se identificando e apesar de se provocarem, acabam se atraindo.

"Consegui adquirir essa reputação em Oxford - contou ele. - Atuei também como médico em Edimburgo e, aparentemente, as notícias da minha personalidade cativante se espalharam. As pessoas, obviamente, não têm nada melhor para falar." posição 23%

Linnet tem um carisma e charme que conquista todos  a sua volta, mas Piers não quer se render, mas percebe que ela é mais natural e mais honesta com ele do que com os outros.

"Ela sorriu, não aquele milagre completo de covinhas que ela usava para manipular os pobres coitados que se deixavam enfeitiçar por ela, mas um sorriso pequeno, quase secreto. Apenas uma curva de seus lábios e um sorriso largo em seus olhos." posição 25%
Apesar de Linnet ter sido beijada e até difamada em Londres, ela foi criada por um pai que quis que ela tivesse uma educação de valores rígidos, para que ela não repetisse os atos da mãe. E por isso, Linnet é virgem, e nem se sentia atraída pelos homens que já tinha beijado, até Piers...

"O beijo dele não era uma adoração gentil. Era um beijo selvagem, um beijo loucamente apaixonado, tulmutuado, roubado. Instintivamente, os braços dela se enrolaram no pescoço dele. Ele tinha o gosto do chá defumado que tinha tomado no café da manhã e de uma substância mais selvagem: desejo.
Era o tipo de beijo que um cavalheiro nunca, jamais, daria em uma dama.
Linnet estava adorando." posição 43%

Mesmo que Linnet e Piers não aceitem que são amigos e já estão apaixonados, eles continuam vivendo uma aventura, que acham não vão levá-los a nenhum lugar...

"À sua maneira, Linnet era a versão feminina dele próprio: detestável, bonita demais, inteligente demais, mordaz demais.
Não que ele fosse bonito." posição 44%

É claro que eles vão ter que se afastar, para se reencontrar e encontrar o final feliz que todos gostamos.

"Ele a amava; ele a amava tanto que seu coração estava se despedaçando." posição 84%

Gostei muito, muito do livro, do final, que não ficou com gosto de quero mais e já quero mais livros de Eloisa James.

Tenho apenas um comentário sobre a capa, apesar de linda, eu acho que ficou bem aquém do livro e de todos os Romances de época da Editora.


Livro no site da autora.

Compre na Amazon BR

Minhas impressões (MI-10/2017): A Promessa - Harlan Coben #MyronBolitar08

Este livro é lançamento do mês de fevereiro/2017, mas no mês passado só li o Quarteto da Julia Quinn, e então este livro, de outro dos meus autores favoritos (Harlan Coben), ficou para ler este mês.

Demorou, mas chegou... a Série Myron Bolitar está completa, ou quase... e eu agora posso tentar reler todos, ou pelo menos todas as resenhas de uma das minhas séries de livros favoritas, um dos meus personagens preferidos. Eu amo Myron!!!!


A Série

O primeiro livro da série lançado pela Arqueiro, em 2011, foi o nono, mas apesar de eu não ter lido na ordem cronológica, indico que os livros sejam lidos em ordem.



  1. Quebra de confiança (2011) - DEAL BREAKER(1995) 
  2. Jogada Mortal (2012) - DROP SHOT (1996) 
  3. Sem deixar rastros (2012) – FADE AWAY (1996)
  4. O Preço da Vitória (2014) – BACK SPIN (2014) 
  5. Um passo em Falso (2014) – ONE FALSE MOVE  (1998) 
  6. Detalhe Final (2015) – THE FINAL DETAIL (1999) 
  7. O medo mais profundo (2016) – DARKEST FEAR (2000) 
  8. A Promessa (2017) – PROMISE ME (2006)
  9. Quando ela se foi (2011) – LONG LOST (2009) 
  10. Alta tensão (2011) – LIVE WIRE (2011)       
  11. Não lançado no Brasil - Home (2016) - RECÉM LANÇADO EM INGLÊS (o retorno de Myron e Win)

Sinopse

Minhas impressões

A Promessa é o livro 8 da série de Myron Bolitar, mas é o 10º que leio... e ele foi escrito bastante tempo depois do livro anterior, no livro temos, assim como na escrita, a passagem do tempo... Myron, Win e Esperança continuam juntos, mas Myron não se envolvem em nenhum mistério por mais de 6 anos.

"Em seis anos não tinha dado um único soco. Não tinha segurado, muito menos disparados, uma arma. Não tinha ameaçado nem sido ameaçado. Não tinha telefonado para Win, que continuava sendo o homem mais amedrontador que ele conhecia, para ajudá-lo ou para tirá-lo de uma encrenca. Nos últimos seis anos nenhum dos seus clientes tinha sido assassinado - um ponto realmente positivo no seu ramo de negócios. (...) Nenhum dos seu clientes, amigos ou entes queridos havia desaparecido." posição 5%

Myron continua o mesmo homem encantador, de coração puro, um homem que parece um menino, que apesar de ser alto e já ser maduro (não sei a idade dele, mas deve estar próximo dos quarenta neste livro) ele continua sendo um bom filho, um bom amigo, um bom pai, apesar de não morar com os pais mais (eles se mudaram para Miami), mora na mesma casa onde foi criado em New Jersey, convive com o filho (descoberto no livro anterior) e com a família dele, está namorando atualmente uma viúva mãe de um casal de adolescentes, mas não se esqueceu de Jessica (a namorada que o enrolou por anos, e não quis se casar com ele). E é por causa da filha da atual namorada (Erin) e da filha (Aimee) de uma amiga do ensino médio que ele se envolveu em um mistério bem cheio de 'mistério', violência e dor.

"- Preciso que vocês me prometam uma coisa.
Erin e Aimee o encararam.
(...)
- Por favor, escutem, está bem? Se algum dia estiverem numa encrenca, se saírem para beber, se seus amigos estiverem bebendo, se vocês estiverem chapadas ou doidonas ou sei lá o quê... Prometam que vão ligar para mim. Eu vou pegar vocês onde estiverem. Não vou fazer nenhuma pergunta. Não vou contar aos seus pais. É a minha promessa." posição 3%

E quando Aimee some logo depois de Myron a ajudar... ele se sente culpado e promete para a amiga Claire, a mãe da menina, a encontrar...

"Foi em frente. Queria encontrar um diário. Era o que a gente sempre via nos filmes. A garota escreve um diário que fala sobre seu namorado secreto, sua vida dupla e coisa e tal. Isso funcionava na ficção. Mas não estava acontecendo na realidade." posição 37%

A análise que Myron faz de seus atos, da violência que Win e ele causam, como as coisas podem ser perigosas, quando ao salvar pessoas inocentes você pode causar a morte de outras que podem ou não ser perigosas, é uma das coisas que Harlan Coben faz muito bem nos seus livros... é mostrar que os humanos tem seu lado bom e mal, alegre e triste sempre em contradições que devem ser equilibradas em nós mesmos e em nossas vidas. Adoro as conversas de Myron e Win, o quão engraçadas ou sérias elas podem ser.

"A pior parte era que Myron não se sentia mal com isso. Não ligava mais. E quando começou a se sentir assim, quando soube que matá-los seria a coisa prudente e que os olhos deles nao assombrariam seu sono... foi quando soube que era hora de parar com isso. Resgatar pessoas, brincar naquela linha frágil entre o bem e o mal, roubava uma pequena lasca da sua alma." posição 47%


 Agora, depois de ler os dez livros da série, fora de ordem e ao longo de 6 anos, quero reler tudo e provavelmente vou fazer já lendo o nono e o décimo, e aguardar ansiosamente pelo livro recém lançado em inglês, HOME, ser lançado no Brasil.



Compre na Amazon Brasil