Minhas impresões: Laços de Gelo (Trilogia da Fraternidade #02) - Nora Roberts @EditoraBertrand

Nora Roberts anda me fazendo sonhar com a Irlanda… coincidentemente os livros que estou lendo neste #MesNoraRoberts tem Irlanda de montão… Clare, Ennis, Galway… povo Irlandês da melhor qualidade… e além de me fazer sonhar com a Irlanda, Nora me emociona sempre e a cada livro mais e mais.


Laços de Gelo é o segundo da Trilogia da Fraternidade... lançado aqui no Brasil em 2009, mas foi a primeira Trilogia lançada por Nora... o primeiro livro 'Laços de fogo' foi lançado nos EUA em 1994... e 'Laços de Gelo' em 1995... e como já disse antes... Diva que é diva... escreve bem desde os primeiros livros... isso é dom...

O mais bonito de tudo é Nora Roberts dizendo no início do livro sobre a Irlanda:

"Mas, além do interior, o que há de mais magnífico na Irlanda é o irlandês. Verdade. É a terra de poetas, guerreiros e sonhadores, mas é ainda uma terra que abre os braços aos estrangeiros. A hospitalidade irlandesa é simples e delicada." 


Sinopse



Minhas impressões


'Laços de Gelo' é a história de Brianna Concannon, Brie, irmã de Maggie cuja história foi contada em 'Laços de Fogo', mas ainda continua neste livro... Brie é doce, mas se fortaleceu pelas adversidades da vida, apesar de terem um AMOR imenso por parte do pai... tanto Brie quanto Maggie não tiveram demosntrações de amor por parte da mãe, Maeve, que sempre reclamou e reclama da vida que levou ao lado do pai das meninas, um homem de coração lindo e que deixou marcas indeléveis no coração das filhas... no início do livro Brie descobre cartas para o pai, guardadas por ele por anos... o que a faz se preocupar em como contará para a irmã... 

Brie é dona de uma pousada... cozinha maravilhosamente e administra com muito amor o lugar... cuida de tudo com muito amor... seu jardim é maravilhoso... chego a imaginar a beleza e o perfume das flores... e apesar do inverno ela vai receber um autor famoso por seus livros de suspense (sangrentos e encantadores) em sua pousada para que ele possa conhecer a região... o Oeste Irlandês e escrever um livro enquanto está na região... o que ela não esperava... e nem Grayson Thane (Gray) era que iriam se encantar um pelo outro... e por tudo que ambos têm a dar um para o outro.

Adoro livros que contam histórias de autores... Gray é mais um autor pelo qual me apaixonei, já tenho Seth Mortensen (série Georgina Kincaid, de Richelle Mead) em meu coração... e Gray agora ocupa um bom lugar nele também... adoro os homens de Nora Roberts... homens normais... com qualidades e defeitos... mas que amam suas mulheres de uma forma tão arrebatadora e maravilhosa... que me fazem derreter por eles... e Gray... é um protótipo de Roarke (Série Mortal) com um passado triste de falta de amor e atos ilícitos, mas é também único... um homem generoso, doce, que quer fugir do seu passado e tem medo do amor e do comprometimento... e é linda a forma como ele é acolhido pela comunidade, pelos amigos de Brie, principalmente Murphy (fofo, que será o próximo 'herói' da Trilogia da Fraternidade) e como ele consegue conquistar até Maeve... a mãe Concannon...

Não posso contar muito sobre o livro... sem contar spoilers, que não gosto, mas posso dizer que adoro Trilogias, pois continuamos tendo contato com os personagens anteriores e sabemos o que anda acontecendo em suas vidas... e também conhecemos mais profundamente outros personagens da mesma 'família'... é encantador o carinho, o amor e a fraternidade entre as irmãs Concannon, seus amores... a forma como elas amam seus 'homens'... Maggie e Rogan e agora Brie e Gray... é lindo e arrebatador o amor deles... neste livro... até a mãe delas tem seu coração 'amolecido'...

Vou me tornar repetitiva neste #MesNoraRoberts, mas é impossível não dizer que Nora me surpreende e me emociona em todos os seus livros... ainda não li nenhum, nenhunzinho que não tenha amado muito.

 capa original

Citações

"- Um ianque? Só um? Um homem?

- Hummmm. - Brianna acariciou a cabeça de Concobar. - Um escritor. Reservou um quarto. Quer refeições também, por um período indefinido. Pagou um mês adiantado.
- Um mês! Nesta época do ano? - Surpresa, Maggie olhava para fora, enquanto o vento sacudia as janelas da cozinha. Acolhedor é que o tempo não estava. - Bem que dizem que os artistas são excêntricos. O que ele escreve?
- Livros de mistério. Já li alguns e ele é bom. Ganhou prêmios e existem até filmes adaptados de suas histórias." pag 13



"- Ah, veja isto, Con. - Com reverência, apanhou uma roupinha de batismo, alisando gentilmente as dobras. Frágeis ramos de alfazema inundaram o ambiente. Botões minúsculos e barras de renda enfeitavam o linho. Obra de sua avó, Brianna concluiu sorrindo. - Ele a guardou - murmurou. Sua mãe jamais legaria tais pensamentos sentimentais às futuras gerações. - Veja só, Maggie e eu devemos ter usado isto. E papai guardou para nossos filhos." pag 16/17



"Gray já sabia quem era seu vilão, podia imaginá-lo ali golpeando com a faca, cujo fio brilhava, à luz mortiça. Conhecia sua vítima, o terror e a dor. O herói e a mulher que ele amaria eram tão claros para Gray como o fluxo vagaroso do rio abaixo.
E sabia que teria de começar logo para criá-los com palavras. Não havia nada de que gostasse mais, quando escrevia, do que fazer seus personagens respirarem, dando-lhes carne e osso. Descobrindo suas experiências, seus medos secretos, cada desvio e cada ângulo de seu passado." pag 43



"Delicadamente ele soltou os dedos com que ela se agarrava à bancada. Com a boca deslizando sobre a dela, ele ergueu seus braços.
- Abrace-me, Brianna. - Deus, ele precisava dela. - Beije-me.
Como o estalo de um açoite, as palavras calmas dele a incitaram. Subitamente ela estava colada nele, a boca ardente e desejosa. Cambaleante, ele recuou, apertando-a. Os lábios dela estavam quentes, famintos, o corpo vibrando como uma corda de harpa puxada. A erupção da paixão era como lava escorrendo através do gelo, frenética, inesperada e perigosa." pag 95



"Os muitos humores de Grayson Thane, ela ponderou. Talvez ela mesma pudesse escrever um livro sobre esse assunto." pag 190


"Como era surpreendente ser desejada como ele a desejava. Surpreendente para ambos, concluiu. Ele não estava masi habituado àquilo do que ela. E isso o preocupava um pouco. Distraidamente, deixou os dedos deslizarem por uma moita de sininhos." pag 276



"Gray levou os dedos dela até seus lábios, depois descansou a testa neles.
- Não se preocupe com isso. Deixe-me cuidar de você.
Era a primeira vez em sua vida que ele fazia este pedido." pag 330


"Ela era, pensou, como um cartão-postal. Algo que personificava um lugar, uma época, um modo de vida. Dia após dia, pensou, ano após ano, ela penduraria suas roupas e lençois para secar ao vento e ao sol. E os recolheria novamente. E com ela, e aqueles como ela, a repetição não seria monótona. Seria tradição - algo que a tornava forte e confiante." pag 345


O próximo livro da Trilogia da Fraternidade é 'Laços de Pecado'... e já estou aguardando o amor de Murphy e Shannon... além da continuação das histórias de Maggie e Rogan... e Brie e Gray!


ESTA RESENHA FAZ PARTE DO #MesNoraRoberts












10 comentários :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.